Bicos de papagaio: como aliviar as dores?

São bicos de papagaio, mas nada têm a ver com o animal. Aparecem sobretudo com o avançar da idade. Se também sofre deste mal, saiba como aliviar as dores.
Publicado por: CUF em 01 de Março 2019
Tags: bicos de papagaio , osteófitos , coluna , articulações , postura
Dores de bicos de papagaio

O que são bicos de papagaio?

Os bicos de papagaio ou osteófitos (termo médico) são saliências ósseas que crescem junto à coluna ou à volta das articulações. Têm este nome porque se assemelham muito, no raio-X, aos bicos de um papagaio. São mais comuns na zona da cervical e lombar, mas podem desenvolver-se noutras articulações.

 

Sinais e sintomas de bicos de papagaio

Os bicos de papagaio podem não provocar sintomas. Quando provocam são sobretudo:

  • Dor nas costas e/ou pescoço, que pode irradiar para os ombros ou pernas
  • Tensão ou fadiga muscular (contratura muscular)
  • Formigueiros nos membros ou sensação de picada
  • Rigidez
  • Limitação dos movimentos

 

Causas de bicos de papagaio

Devido a uma série de fatores, entre os quais o próprio envelhecimento, os discos e as articulações vão-se desgastando e provocando instabilidade na região afetada. 

O corpo reage a esse processo de degeneração com a formação de osso (osteófito), o que pode causar compressão dos nervos e vários sintomas. Associa-se frequentemente a outras patologias, nomeadamente artrites com uma componente inflamatória.  

 

Fatores de risco de bicos de papagaio

O risco de ter bicos de papagaio aumenta com um conjunto de fatores, designadamente:

  • Idade
  • Má postura
  • Lesões/traumas

 

Como aliviar as dores dos bicos de papagaio?

Os chamados bicos de papagaio devem ser diagnosticados e tratados por especialistas, designadamente de Ortopedia, Medicina Física e Reabilitação, Neurocirurgia, entre outras áreas cuja intervenção pode aliviar os sintomas potencialmente incapacitantes, como a dor. O tratamento pode incluir:

 

Fármacos
Anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno e relaxantes musculares, administrados por via oral ou injetável.

 

Descanso
Parar pode ser o melhor remédio. Descansar umas horas ou uns dias pode ser o suficiente para aliviar ou, pelo menos, não agravar os sintomas, sobretudo em caso de trabalhos mais exigentes fisicamente.

 

Calor
Algumas pessoas referem um alívio da dor quando aplicam frio ou calor na zona afetada. Um duche morno também pode surtir bons resultados.

 

Fisioterapia
O fisioterapeuta poderá ter um papel fundamental na prescrição da terapia indicada para cada caso, incluindo exercícios para melhorar a flexibilidade e os movimentos.

 

Cirurgia
Em alguns casos mais graves a cirurgia da coluna pode ser a mais indicada. A decisão terá em conta vários fatores, como os tratamentos alternativos possíveis, a gravidade da compressão e dos sintomas (como dor ininterrupta e imobilidade) e, é claro, os riscos associados a características individuais (como história de outras doenças). A cirurgia da coluna deve ser feita por um especialista (ortopedista ou neurocirurgião).

 

Outros tratamentos
Terapias como manipulação manual e acupuntura são referidos como sendo úteis no controlo dos sintomas.

 

Prevenção (recomendações) de bicos de papagaio

Mesmo depois de controlados os sintomas, os bicos de papagaio não desaparecem e podem voltar a incomodar a qualquer momento. Ficam algumas sugestões que minimizam esse risco:

  • Corrija a sua postura, mantendo a coluna direita em toda a sua extensão
  • Evite carregar pesos para não sobrecarregar a coluna
  • Não curve as costas para se baixar. Se tiver de apanhar qualquer coisa do chão, flita as pernas e desça a coluna na vertical
  • Não permaneça demasiado tempo na mesma posição
  • Ajuste a altura das cadeiras, secretárias e ecrãs, de modo que a sua coluna esteja sempre o mais vertical possível
  • Pratique atividade física, mas aconselhe-se quanto às modalidades mais ajustadas ao seu caso. Hidroginástica e Pilates são das mais populares. Já modalidades que envolvam fricção com o solo ou levantamento de pesos podem até complicar o quadro