Estou grávida e estou doente: posso tomar antibióticos?

A toma de antibióticos durante a gravidez é segura, mas depende do tipo de antibiótico, da dose e da duração do tratamento. Saiba mais.
Publicado por: CUF em 17 de Agosto 2017
Tags: antibiótico , gravidez

"Estou grávida e tenho de tomar antibiótico. Será seguro para o meu bebé?" Esta é uma dúvida que assalta muitas mulheres que têm uma infeção durante a gravidez. A mensagem às futuras mamãs é tranquilizadora. De facto, a maior parte dos antibióticos é perfeitamente segura nesta fase.

A amoxicilina e a penicilina são alguns exemplos de antibióticos geralmente prescritos a mulheres grávidas, normalmente sem riscos e sem complicações para a gravidez. Há, no entanto, alguns antibióticos que devem ser evitados na gravidez por eventuais problemas para as grávidas e/ou para os bebés. É o caso das tetraciclinas.

 

Porque é que certos antibióticos podem fazer mal?

Alguns antibióticos podem atravessar a placenta e causar danos no bebé, tais como descoloração dos dentes, baixa audição ou surdez, anomalias congénitas, doença cardíaca, fenda palatina, etc. Estes antibióticos são considerados teratogénicos.

 

Quais são os antibióticos que fazem mal?

Há uma série de antibióticos comprovadamente inócuos (não são nocivos) durante a gravidez (categoria A).

Outros são comprovadamente inócuos para os animais, mas não existem estudos controlados nas mulheres grávidas (categoria B). Alguns antibióticos podem causar problemas nos animais (categoria C). Apesar disso, a sua prescrição poderá justificar-se se o médico considerar que os benefícios são maiores do que os riscos, como em infeções por bactérias resistentes aos antibióticos inócuos habituais utilizados na gravidez. Quando existe evidência clínica nos humanos da associação entre a utilização do antibiótico na gravidez e o desenvolvimento de doença (categoria D) ou anomalias congénitas (categoria X), este não deve ser tomado.

 

Não tomar o antibiótico é solução?

Os antibióticos são essenciais para debelar as infeções. Cabe ao seu médico decidir qual o antibiótico mais adequado, tendo em conta a gravidez em si e o número de semanas de gestação em que se encontra.

Não tomar o antibiótico prescrito pelo médico pode ser mais prejudicial para o seu bebé do que a sua toma. De facto, ter uma infeção não tratada durante a gravidez pode associar-se a complicações como parto prematuro, bebés de baixo peso e até morte perinatal.

 

Tomei um antibiótico durante a gravidez. E agora?

Quando se diz que a toma de um antibiótico pode provocar determinados problemas, não quer dizer que tal aconteça em todos os casos. Na verdade, apenas uma percentagem reduzida de bebés poderá ser afetada.

 

Atenção!

Quando os antibióticos são tomados sem indicação (por exemplo, para combater uma infeção viral, como uma gripe), não só não vão fazer efeito como ainda podem provocar resistências bacterianas futuras. Não se esqueça que só pode tomar antibióticos quando estes forem prescritos pelo seu médico - não faça automedicação.