Guia para umas férias felizes: cuidados a ter com as crianças no verão

Passar férias em família é sinónimo de divertimento mas implica um planeamento cuidadoso.
Publicado por: Pilar de Quinhones Levy em 04 de Agosto 2014
Tags: crianças , Destino de férias , família , férias , viagem

As tão desejadas férias estão quase a chegar!

Para que tudo corra bem, os pais deverão ter alguns cuidados antes e durante a estadia.

 

1. Escolha do destino de férias

Selecione o local consoante a idade das crianças. Lembre-se que não vale a pena ir para locais onde as crianças, principalmente até aos 2 anos, estão muito limitadas nas suas atividades. Por exemplo, em países com temperaturas muito elevadas poderá acontecer ter de ficar no quarto ou muito resguardada a maior parte do tempo.

Recolha informação sobre o local de modo a identificar os riscos a que a criança possa estar exposta. Deve informar-se acerca da temperatura média e doenças endémicas (malária, dengue, hepatite A) que existem no destino.

Assegure-se de que existem locais onde a criança possa ser socorrida e que estes são facilmente acessíveis (hospital, centro de atendimento).

 

2. Preparativos

Deve levar a criança ao pediatra se tiver dúvidas sobre o seu estado de saúde ou se não é observada há algum tempo.

Verifique se as vacinas da criança estão atualizadas e/ou se o local para onde vão passar férias implica a realização de uma vacina específica (países tropicais).

As vacinas poderão ter de ser administradas algum tempo antes da viagem (por vezes com um ou dois meses de antecedência) para que sejam eficazes.

 

3. O que é essencial levar na bagagem

  • Organize um estojo de primeiros socorros que deve incluir compressas, pensos rápidos, soro fisiológico e  tópicos antissépticos.
  • Peça ao pediatra que lhe recomende os medicamentos que deve levar consigo. Por exemplo, medicamentos para a febre e diarreia ou pomadas para picadas de insectos podem fazer toda a diferença. O pediatra indicará em que circunstâncias administrá-los, quando e como o efetuar e ensinará os pais a despistar sinais de alerta.
  • Em muitos locais os repelentes de insetos são indispensáveis e deve informar-se sobre qual será o mais indicado. A melhor proteção é usar roupa que cubra bem o corpo e, durante a noite, mosquiteiros.
  • Se o seu filho costuma fazer  alguma terapêutica de rotina, não se esqueça de a levar.
  • Mesmo que tenha seguro de viagem, se viajar para um país  europeu peça, com antecedência, o Cartão Europeu de Seguro de Doença, o que possibilitará à criança obter assistência médica localmente. 
  • Escolha roupa, calçado e chapéus de acordo com o local para onde vão passar férias. 
  • Inclua alguns brinquedos, livros e jogos na mala.
  • Não se esqueça de levar filtros solares de acordo com a idade e cor de pele da criança. 

 

3. A viagem 

De carro

  • Deve realizar a viagem preferencialmente em horas de menor calor.
  • A bagagem deve ir bem acondicionada.
  • As crianças devem viajar em cadeiras de segurança de acordo com  a sua idade e estatura e sempre com o cinto colocado.
  • Se a criança costuma enjoar, a refeição anterior  à viagem deve ser leve e pouco quente. Se necessário, a criança deve tomar o medicamento antiemético que o pediatra recomendar.
  • Se a viagem for longa deverá fazer paragens. 


De avião
Costuma mastigar pastilha elástica quando o avião descola e aterra? Então dê também uma pastilha elástica aos seus filhos. Se ainda forem muito pequenos, opte por um biberão com água ou algumas bolachas.

Em caso de obstrução nasal deve ser aplicado um descongestionante nasal cerca de 30 minutos antes de o avião descolar e aterrar.

Assim, poderá  evitar dores de ouvidos que podem estragar as férias.

 

4. Chegada ao destino

  • Por vezes, enquanto os pais desfazem as malas, a criança tem tendência a explorar o novo local. Cuidado, esse reconhecimento deve ser feito sempre na companhia de um adulto.
  • Verifique se dentro da casa/quarto de hotel existem varandas, janelas, escadas ou outros fatores que possam implicar algum tipo de risco.
  • Avalie o envolvimento circundante: piscina, parques, ciclovias, passadeiras e o tipo de trânsito.

 

5. Estadia 

  • Coloque dispositivos de segurança nos locais da casa/quarto onde detetou risco. 
  • Averigue se a água é potável. Se não for, utilize sempre água engarrafada - inclusive para lavar os dentes. 
  • Não use gelo, exceto se este tiver sido feito com água segura. Não coma nem dê à criança fruta já descascada. 
  • Todos os membros da família devem aplicar protetor solar 50+ 30 minutos antes de chegar à praia, à piscina ou se for passear em zonas expostas ao sol. Deve ser reaplicado de duas em duas horas ou após o banho, mesmo que o protetor seja à prova de água. Se a criança tiver menos de 24 meses deve usar um fotoprotetor mineral e, nesse caso, não tem de o aplicar com antecedência.
  • Deve-se usar chapéu e os mais pequenos devem ter uma T-shirt de preferência seca ou opaca a radiação ultravioleta (UV) e devem manter-se à sombra. Não se esqueça dos  óculos de sol com lentes certificadas. Use chapéu de sol opaco aos raios UV.
  • O sol é saudável de manhã cedo ou no final da tarde. Evite a exposição solar entre as 11h e 17h (Portugal).  
  • Acompanhe os mais pequenos sempre que estejam perto da água e coloque coletes salva-vidas ou braçadeiras. Não deve usar boias.
  • Não perca de vista as crianças mais velhas e ensine-lhes pontos de referência para não se perderem. Eventualmente, nos mais pequenos, poder-se-á usar uma pulseira de identificação.
  • Ofereça água para estarem hidratados e se levar comida deverá ser simples e ir em lancheira própria colocando-a à sombra.
  • Se forem andar de triciclo, bicicleta, skate ou patins devem usar capacete  e outros protetores. 
  • No campo explore a área com os seus filhos de modo a identificar perigos. Atenção aos rios, poços ou charcas que possam existir, bem como aos declives e ravinas. 

 

E os horários?

Os horários têm de ser pensados para se respeitarem as horas de sono, principalmente  as dos mais pequenos. Claro que estão de férias e toda a família deve relaxar mas não estrague todo o trabalho que teve até essa altura a regrar ritmos de sono e de alimentação.

Quebre alguns horários se quiser, mas com moderação.

 

Para terminar...
Muito mais conselhos lhe poderíamos dar... mas é impossível focar todos os temas. Por isso, divirta-se, leve uma máquina fotográfica ou de filmar e aproveite o melhor possível os dias que vai passar com os seus filhos.

Boas férias!

 

Pilar de Quinhones Levy e Laura Sousa Macedo