Hiperhidrose: a solução definitiva

Uma cirurgia de 15 minutos põe um ponto final aos constrangimentos causados pela transpiração excessiva e rubor facial.
Publicado por: CUF em 22 de Abril 2014
Tags: cirurgia , hiperhidrose , hiperidrose , simpaticectomia torácica , suor , transpiração

Estima-se que cerca de 150 mil portugueses sofram de hiperhidrose, uma doença em que se verifica um aumento excessivo de sudação nas palmas das mãos, pés e axilas.

A transpiração exagerada nas mãos é a forma mais comum desta doença e interfere em muitas atividades profissionais e sociais, causando constrangimento e, por vezes, isolamento.

O rubor facial involuntário e incontrolável é também um problema muito comum que tem, igualmente, um impacto negativo nas relações profissionais e sociais.

Mas, hoje em dia, já existe uma solução para ambos os problemas, sabia?

 

O que provoca a hiperhidrose

A transpiração (numa quantidade considerada normal) é necessária para controlar a temperatura do nosso corpo e esta é regulada pelo sistema nervoso autónomo. A hiperhidrose tem como principal causa o mau funcionamento do sistema nervoso autónomo: quando este não está a funcionar corretamente, envia um estímulo maior do que devia às glândulas sudoríparas écrinas, o que provoca um aumento exagerado de transpiração em certas zonas onde estas glândulas existem, nas mãos, axilas e pés principalmente.

 

Tratamentos disponíveis

Um dos tratamentos existentes para a hiperhidrose denomina-se iontoforese. Trata-se de um equipamento que utiliza elétrodos ligados a uma corrente de baixa intensidade, bloqueando a produção de glândulas sudoríparas. No entanto, a resposta a este tratamento é variável e não resulta na maioria dos doentes.

Em determinados casos de hiperhidrose das axilas, a aplicação de toxina botulínica pode estar indicada. Os resultados do tratamento duram entre 3 a 6 meses, pelo que este tem de ser repetido periodicamente.

 

Solução definitiva: a cirurgia

A simpatectomia torácica superior bilateral é uma cirurgia minimamente invasiva que trata a hiperhidrose e o rubor facial de forma definitiva. Trata-se de uma cirurgia simples de 15 minutos, realizada por videotoracoscopia, em que se utiliza anestesia geral e é feita uma única incisão a 1 cm por baixo da axila. Nos doentes com hiperhidrose é realizada a ablação do nervo simpático. Para tratamento do rubor facial é aplicado um clip de titânio no nervo simpático. O doente tem alta cerca de 6 a 8 horas após a cirurgia e pode regressar à sua rotina profissional decorridos 2 ou 3 dias.

 

Atenção!

Muitas vezes, a hiperhidrose é desvalorizada até começar a interferir na atividade profissional ou relações pessoais do doente. Se sofre de transpiração excessiva, procure aconselhar-se numa consulta de hiperhidrose.