Microcefalia: sabe o que é?

Os casos de microcefalia em bebés associados ao vírus Zika têm suscitado questões sobre esta doença. Saiba no que consiste e quais são os principais perigos.
Publicado por: CUF em 03 de Agosto 2017
Tags: microcefalia , zika

A microcefalia é uma malformação na qual a cabeça da criança é significativamente menor do que a de outras crianças da mesma idade e género. Esta condição neurológica resulta de um problema no desenvolvimento cerebral durante a gestação ou depois do parto. Pode ser ligeira ou grave.

 

Causas e fatores de risco

A microcefalia pode ser genética ou adquirida. Neste último caso, há vários fatores que condicionam o risco de desenvolvimento desta doença, designadamente:

  • Certas infeções do feto durante a gravidez, como infeções pelo vírus Zika, citomegalovírus, rubéola e toxoplasmose;
  • Interrupção da circulação sanguínea e do afluxo de oxigénio ao cérebro do bebé durante a gestação ou o nascimento (por um trauma durante o parto, por exemplo);
  • Desnutrição grave durante a gestação;
  • Exposição in utero a substâncias como álcool, drogas, radiação ou metais pesados.

 

Problemas relacionados com a Microcefalia

A microcefalia pode surgir isoladamente ou fazer-se acompanhar por uma série de outros problemas de saúde, como:

  • Atraso no desenvolvimento neuropsicomotor;
  • Descoordenação motora/espasticidade;
  • Dificuldades de aprendizagem;
  • Défice cognitivo;
  • Problemas de visão;
  • Perda de audição;
  • Dificuldades na fala;
  • Hiperatividade;
  • Convulsões/epilepsia.

 

Prevenção

As grávidas são aconselhadas a:

  • Não tomar medicamentos que não sejam prescritos por médicos;
  • Não ingerir drogas e bebidas alcoólicas;
  • Fazer uma alimentação saudável e equilibrada;
  • Evitar a ingestão de carnes cruas ou malcozidas, assim como o contacto com fezes de animais (como gatos), de modo a prevenir a contaminação pelo parasita causador da toxoplasmose;
  • Utilizar repelentes, redes e roupas que impeçam a picada do mosquito que transmite o vírus Zika ou mesmo evitar engravidar no caso de possível contágio;
  • Procurar aconselhamento genético se tiver casos de microcefalia na família.

 

Diagnóstico

A microcefalia pode ser detetada ainda durante a gravidez ou depois do nascimento, através da medição do perímetro cefálico, medida que deve ser comparada com os valores de referência indicados pela Organização Mundial de Saúde e complementada por exames médicos.

 

Tratamento da Microcefalia

Não existe cura nem tratamento específico para a microcefalia. O tipo de intervenção a realizar vai depender das funções afetadas, podendo envolver uma equipa multidisciplinar que inclui fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, terapeutas da fala, entre outros profissionais de saúde. Também podem ser prescritos determinados medicamentos, como, por exemplo, antiepiléticos.

 

Sabia que…

A microcefalia é rara, afetando 1 a 12 a crianças por 10 000 nados vivos (números dos Estados Unidos).