Verrugas vs. cravos: quais as diferenças no tratamento?

Verrugas e cravos são muitas vezes considerados sinónimos, mas, na verdade, são duas patologias distintas. Descubra as diferenças.
Publicado por: CUF em 03 de Julho 2017
Tags: cravos , pele , pontos negros , verrugas

Verrugas ou cravos: eis a questão. A distinção passa por conhecer as causas, os sinais e as principais características, de modo a estabelecer o diagnóstico e o tratamento adequado.

 

Causas

As verrugas são pequenas lesões benignas da pele e mucosas, causadas por um vírus, enquanto os cravos (ou comedões) são pontos negros ou brancos resultantes da obstrução dos poros da pele, sobretudo por um excesso de sebo, gordura produzida pelas glândulas sebáceas. Os cravos são típicos da acne, que atinge cerca de 80% dos adolescentes, devido ao aumento da atividade hormonal.

 

Mecanismos

As verrugas são resultantes de uma infeção pelo Vírus do Papiloma Humano (HPV). As lesões podem surgir meses após o contágio.

Os cravos formam-se no folículo sebáceo, onde se produz a gordura natural da pele. A gordura acumula-se no local e forma um cravo.

 

Localização

As verrugas podem surgir em diferentes zonas do corpo, mas atingem sobretudo as plantas dos pés (verrugas plantares), os dedos e unhas (peri ou subungueais), o rosto e o pescoço (filiformes). Os órgãos genitais e a região perianal e anal podem ser igualmente atingidos (verrugas venéreas ou condilomas acuminados). Já os cravos manifestam-se preferencialmente no rosto e no tronco, zonas ricas em glândulas sebáceas.

 

Aspeto

As verrugas apresentam-se como nódulos, protuberâncias duras, podendo ter uma superfície irregular, mais ou menos áspera, esbranquiçada ou mais escura. O seu tamanho é variável e podem apresentar-se isoladamente ou agrupar-se. As verrugas plantares podem ser confundidas com os calos. As filiformes são longas e finas. Já as verrugas venéreas podem ter a aparência de uma couve-flor.

Os cravos ou comedões são pequenos pontos brancos ou negros. Os cravos negros são formados em poros mais largos e abertos; os brancos surgem em poros pequenos e fechados. Podem dar lugar a infeção por bactérias e originar pápulas (borbulhas) e pústulas (com pus).

 

Tratamento

Tendo em conta que as causas são diferentes, o tratamento também será diverso consoante estejamos perante verrugas ou cravos.

  • Verrugas – Podem curar espontaneamente, sem tratamento, mas também podem permanecer durante anos, desaparecer e reaparecer. Compete ao médico avaliar o caso concreto e propor a terapêutica, nomeadamente por motivos estéticos ou funcionais. Os tratamentos visam a destruição das lesões por meios físicos ou químicos e incluem:
    • Produtos com ácido retinoico (um derivado da vitamina A), ácido salicílico, entre outros agentes descamantes ou queratolíticos;
    • Procedimentos cirúrgicos (eletrocoagulação, curetagem);
    • Criocirurgia (terapia pelo frio com nitrogénio líquido).
       
  • Cravos – Será preciso ter uma boa dose de paciência e seguir algumas regras simples. Depois é só esperar pelos resultados. Até lá, deve-se:
    • Limpar diariamente a pele com soluções apropriadas, com propriedades não comedogénicas/comedolíticas;
    • Evitar produtos oleosos ou gordurosos, que podem obstruir os poros da pele;
    • Não espremer;
    • Usar produtos específicos (retinoides, ácido salicílico ou azelaico), mas sob prescrição, devido aos efeitos secundários.

 

Atenção!

Não vale a pena estar sempre a lavar ou a esfregar os pontos negros ou brancos (estes são os mais difíceis de tratar). Tal só irá agravar o problema, aumentando o risco de irritação, infeção e cicatrizes.