Vírus Zika: o que é e como evitar a propagação?

A doença causada pelo vírus Zika é considerada uma doença infeciosa emergente. Saiba quais são os sintomas e as principais medidas de prevenção.
Publicado por: CUF em 29 de Janeiro 2016
Tags: picadas de insetos , vírus , zika

O vírus Zika pertence à família Flaviviridae. Os principais vetores (mosquitos transmissores do vírus) são do género Aedes (Aedes aegypti e Aedes albopictus). Não se trata de um vírus novo. Na verdade, foi isolado, pela primeira vez, em 1947, na floresta Zika, no Uganda e vem daí o seu nome.

Antes de 2007, estavam documentados apenas pequenos surtos em África e no sudeste da Ásia. A partir desse ano o Zika vírus chegou às ilhas do Pacífico. Os primeiros casos na América Latina foram reportados em 2015. Em Portugal estavam descritos, até janeiro de 2016, cinco casos, todos eles importados.

 

Como se transmite o vírus Zika?

O vírus Zika é transmitido aos seres humanos pela picada de mosquitos infetados. Não se transmite de pessoa para pessoa, apesar de haver a suspeita de casos de transmissão por via sexual.

 

Sinais e sintomas do vírus Zika

Na maioria dos casos, a infeção pelo vírus Zika não dá sintomas (entre 60 a 80%). Quando ocorrem, os sintomas são geralmente ligeiros e autolimitados, durando entre 4 a 7 dias e desaparecendo sem causar complicações e sem necessidade de hospitalização.

Os sintomas mais frequentes do Zika vírus são:

  • Febre
  • Erupções cutâneas
  • Dores nas articulações
  • Dores de cabeça
  • Dores musculares
  • Conjuntivite não purulenta/Hiperemia conjuntival

 

Com menos frequência:

  • Dores nos olhos
  • Sintomas gastrointestinais

 

Na sequência da epidemia, foi notificado um número superior ao habitual de casos de síndrome de Guillain-Barré e de anomalias congénitas (microcefalia) em fetos e recém-nascidos de mães expostas ao vírus Zika nos dois primeiros trimestres da gravidez. Contudo, a relação causal entre a infeção e estes problemas ainda não está comprovada.

 

Quais os cuidados a ter para prevenir a infeção pelo vírus Zika?

Como não ainda não existe uma vacina ou um medicamento preventivo contra o vírus Zika, a principal medida de prevenção é proteger-se contra a picada do mosquito nas deslocações para as áreas afetadas, aconselhando-se previamente numa Consulta do Viajante ou com o seu médico assistente e seguindo as recomendações das autoridades, sobretudo no caso das mulheres grávidas.

Os principais conselhos são:

  • Aplicar repelentes de mosquitos, seguindo as instruções do fabricante;
  • Usar camisas de manga comprida e calças para proteger o corpo;
  • Preferir alojamentos com ar condicionado;
  • Utilizar redes mosquiteiras, caso o alojamento não disponha de ar condicionado.

 

Se está grávida e regressou recentemente de uma zona afetada pelo vírus Zika, deve consultar o seu médico assistente para ser devidamente seguida.

Se viajou até um país afetado e tiver um dos sintomas descritos até 12 dias após a data de regresso, aconselhe-se com o seu médico. Recorde-se que o período de incubação varia entre 3 a 12 dias após a picada do mosquito infetado.

 

Tratamento do vírus Zika

O tratamento do Zika vírus é dirigido aos sintomas da infeção e assenta em antipiréticos (para baixar a febre), analgésicos (para aliviar a dor) e anti-histamínicos (para combater o prurido cutâneo). Não existe ainda um medicamento específico.

Em caso de febre, aconselha-se a ingestão de muitos líquidos, para evitar a desidratação.

É desaconselhado o uso de ácido acetilsalicílico e de anti-inflamatórios não esteroides devido aos riscos associados.