Hiperhidrose

hiperhidrose

A hiperidrose é uma doença benigna que se caracteriza por uma sudorese (transpiração) excessiva ou Hipersudorese. O suor é um mecanismo essencial para a regulação da temperatura do nosso organismo, sendo controlado pelo sistema nervoso autónomo e portanto não dependente da nossa vontade.

 

Quando a produção de suor ultrapassa as normais necessidades para essa regulação, o que acontece em cerca de 1% da população em geral, causa grandes incómodos aos seus portadores. A hiperidrose aparece habitualmente na infância, mais frequentemente no sexo feminino, e tem tendência para o agravamento dos sintomas na fase da puberdade.

 

Hipersudorese manifesta-se habitualmente nas palmas das mãos, axilas, plantas dos pés e face (por vezes associada a rubor intenso), em conjunto ou o com predomínio acentuado de uma região em particular. Quando o predomínio se verifica nas palmas das mãos e axilas, altera a forma como estes doentes se relacionam com o “mundo exterior”.

 

Com efeito, estas pessoas têm dificuldade no contacto social, evitam escrever porque molham o papel, evitam cumprimentar as pessoas, pegar em objectos, trabalhar no computador, conduzir porque têm medo que o volante fique escorregadio. Mancham frequentemente a roupa (aparecimento de auréola a nível axilar), molham as meias que permanecem húmidas ao longo do dia, não gostam de usar sandálias ou sapatos abertos porque são visíveis as manchas de suor. Todo este quadro, que se agrava com o calor, com o stress e cessa durante o sono(noite), pode causar transtornos psicológicos graves, uma vez que há uma tendência para o isolamento social e para esconder o problema.

 

A hiperidrose é mais importante e mais difícil de tolerar quando se localiza ao nível das palmas das mãos e axilas. Numa primeira fase da abordagem do seu tratamento, a dermatologia tem uma palavra a dizer, com vários tipos de terapêuticas.

 

Quando o tratamento médico não é eficaz, o tratamento com cirurgia, deve ser equacionado. O tratamento cirúrgico é realizado por videotoracoscopia, sob anestesia geral. A cirurgia consiste na remoção de fibras do sistema nervoso autónomo responsáveis pela inervação destas zonas e situadas dentro da cavidade torácica. Este procedimento é efectuado, à direita e à esquerda, no mesmo tempo operatório.

 

O resultado é imediato e o doente tem alta no próprio dia ou no dia seguinte à cirurgia, com as mãos completamente secas e preparado para regressar à sua vida normal, sem limitações. Em 60-70% dos casos, pode verificar-se o aparecimento duma “hiperidrose compensatória”, assunto que deve ser previamente, à cirurgia, abordado e explicado pelo cirurgião. Nos doentes com hiperidrose palmar e axilar, que têm hipersudorese dos pés associada, há uma percentagem significativa, que refere uma redução acentuada da sudorese a nível da planta dos pés, após a cirurgia.