Tratamento do cancro da laringe

Tratamento

 

Tendo em conta o estadiamento do cancro da laringe, a equipa clínica multidisciplinar avaliará o melhor tratamento a seguir.

 

As opções podem incluir a cirurgia, o tratamento por radioterapia e a quimioterapia, por si ou de forma combinada.

 

Estadio 0 – a opção de tratamento passa pela cirurgia para remoção da lesão, mantendo a laringe;

 

Estadio I – neste estadio e dependendo do tipo de cancro, as opções de tratamento podem ser:

- Cancro não glótico: cirurgia de remoção parcial da laringe - laringectomia supraglótica, parcial ou hemilaringectomia – ou laringectomia total e radioterapia;

 

- Cancro glótico: as mesmas opções apresentadas para o cancro não glótico, e/ou ainda a realização de cordectomia, ou seja, a remoção das cordas vocais;

 

Estadio II – neste estadio a opção de tratamento passa pela cirurgia, com ou sem radioterapia ou exclusivamente radioterapia;

 

Estadio III – as opções incluem a cirurgia com ou sem radioterapia, ou radioterapia exclusiva, ou quimioterapia concomitante com radioterapia  (com ou sem cirurgia);

 

Estadio IV - Pode ser feita uma cirurgia para controlo da doença local mas o mais habitual é o uso das modalidades não cirurgicas como a quimoterapia e radioterapia, em combinação ou em sequência.

 

A realização de uma laringectomia total provoca sequelas para o doente, como deixar de falar e passar a ter uma traqueostomia definitiva, ou seja, a respiração passa a ser feita através de um orifício artificial na garanta, realizado pelo cirurgião.

 

Felizmente ao longo dos anos têm vindo a desenvolver-se formas seguras de tratamento conservador, ou seja, que não obriguem à realização de uma laringectomia para tratar o cancro da laringe.