Estadiamento e Tratamentos do Cancro da Mama

Estadiamento

 

Confirmado o diagnóstico é fundamental saber qual a extensão do tumor na mama, nos gânglios regionais e noutros orgãos. A isto chama-se estadiamento. A informação obtida determina o estadio da doença, fundamental para planeamento do tratamento.

 

A quantidade e o tipo de exames de estadiamento pode variar de caso para caso. Duma forma geral devem-se excluir metástases ósseas através duma cintigrafia óssea, metástases hepáticas através duma ecografia hepática e eventuais metástases pulmonares através duma radiografia. Podem ser feitos exames mais sensíveis como a tomografia computorizada (TAC) e a tomografia por emissão de positrões (PET).

 

Com base nos exames efectuados, o estadiamento do cancro da mama pode ser classificado da seguinte forma:

Estadio 0 – o cancro é não invasivo, chamando-se in situ, por estar no seu sítio, ou seja, circunscrito a uma localização muito inicial;

Estadio I – o cancro tem uma dimensão inferior a 2 cm e há por vezes evidência microscópica de células tumorais nos gânglios da axila do mesmo lado;

Estadio II - o cancro da mama tem uma dimensão superior a 2 cm mas mantém-se apenas evidência microscópica de células tumorais nos gânglios da axila do mesmo lado;

Estadio III - o cancro da mama tem uma dimensão superior a 5 cm e há evidência de doença nos gânglios da axila do mesmo lado de maiores dimensões;

Estadio IV - as células do cancro da mama espalharam-se para outros órgãos, chamando-se a este fenómeno metástases.