Diagnóstico cancro do cérebro

Diagnóstico

 

Num doente com suspeita de cancro do cérebro podem ser pedidos exames para diagnosticar a doença.

 

Para fazer o diagnóstico usam-se exames que examinam o sistema nervoso central, tais como:

 

- Exame clínico e exame neurológico - O exame neurológico avalia a função do sistema nervoso, mais especificamente: Funções cognitivas, coordenação, marcha, funcionamento dos músculos, sentidos e reflexos;

 

- Exame aos campos visuais para ver se a visão está inalterada;

 

- Análises gerais;

 

- Exames radiológicos como a TAC, a RMN e a angiografia. Pode ser feita espetroscopia para se avaliar como determinadas substâncias que são injetadas são usadas pelo tumor;

 

- Exames de Medicina Nuclear como o SPECT e PET;

 

- Biopsia - é fundamental obter um pequeno fragmento da lesão para se poder observar ao microscópio e fazer o diagnóstico em relação ao tipo de células e ao grau do tumor. Este fragmento pode ser obtido por biopsia ou numa cirurgia. Na biopsia apenas se faz um pequeno orifício no crânio através do qual se insere uma agulha que retira um pequeno fragmento. Na cirurgia faz-se uma abertura maior no crânio.

 

Pode haver ocasiões em que a biopsia é difícil devido à região onde cresce o tumor, nesses casos o diagnóstico assume-se tendo em conta os exames de imagem; é no entanto desejável que se obtenha sempre um fragmento para biópsia.

 

Só a observação das células suspeitas ao microscópio pela Anatomia Patológica pode confirmar o diagnóstico de cancro do cérebro.