Subtipos cancro colo do útero

Subtipos

 

A forma mais frequente cancro do colo do útero é o carcinoma pavimentoso, pavimento-celular, epidermóide ou espinocelular.

 

Outros tipos mais raros da doença são o adenocarcinoma ou carcinoma de pequenas células no colo do útero.

 

Podem aparecer células de cancro apenas dentro do epitélio, sem invasão além do revestimento superficial, a que se dá o nome de neoplasia cervical intraepitelial (CIN de "cervical intra epitelail neoplasia") com graus diferentes de gravidade de acordo com o formato e tamanho das células ao microscópio.

 

Na maioria das situações, as células atípicas detectadas no exame de Papanicolau não são de cancro. Contudo, com o passar do tempo e sem tratamento, as células atípicas podem vir a transformar-se em células de cancro:


- Lesão escamosa intraepitelial de baixo grau (LSIL): são alterações verificadas nas células da superfície do colo do útero, normalmente provocadas por infecções de HPV (vírus do papiloma humano). Na maioria dos casos, estas lesões desaparecem por si com o tempo, mesmo sem tratamento. No entanto, por vezes podem evoluir para uma lesão de alto grau (HSIL) aumentando o risco de degenerar em cancro do colo do útero. A sua incidência é maior nas mulheres jovens;

 

 - Lesão escamosa intraepitelial de alto grau (HSIL) : embora não consideradas cancro, são lesões que se não forem tratadas podem evoluir para cancro do colo do útero. As células pré-cancerígenas estão apenas na superfície do colo do útero sendo fundamental o seu tratamento nesta fase.