Tratamento cancro colo do útero

Tratamento

 

Tendo em conta o estadiamento do cancro do colo do útero, a equipa clínica multidisciplinar avaliará o melhor tratamento a seguir.

 

As opções podem incluir a cirurgia, o tratamento por radioterapia e a quimioterapia.

 

Estadio 0 – neste estadio a opção de tratamento passa pela cirurgia, nomeadamente a conização do colo do útero, que consiste na remoção por laser ou por bisturi da lesão identificada. Outras técnicas como o cirurgia de alta frequência (LEEP) e a criocirurgia podem ser utilizadas;

 

Estadio IA – a opção de tratamento passa pela realização de uma histerectomia total abdominal com salpingooforectomia bilateral (SOB), que consiste numa cirurgia abdominal em que é removido o útero, as trompas e os ovários. Pode ser ainda removida parte da vagina. Nesta cirurgia devem ser retirados também amostras aos gânglios linfáticos pélvicos; no caso de a mulher querer ter filhos, deverá discutir com o seu médico a possibilidade de efectuar um procedimento parcial, de forma a preservar o órgão;

 

Estadio IB e IIA– a opção de tratamento passa pela combinação de cirurgia – histerectomia total abdominal– radioterapia e quimioterapia, avaliada caso a caso;

 

Estadio IIB e III – nestes estadios, a opção terapêutica habitual será o tratamento por radioterapia e quimioterapia;

 

Estadio IV – a opção terapêutica neste estadio passa pela quimioterapia, e caso a caso poderá decidir-se pela radioterapia.


Existem dois tipos de tratamento de radioterapia para o cancro do colo do útero:

 

- Radiação externa: a radiação é administrada através de um aparelho de grande dimensão e que incide o feixe de radiação para a área a tratar com alta precisão. Na maioria dos casos, a mulher efectua 5 sessões por semana, durante 5 a 7 semanas, sem necessitar de internamento;

 

- Radioterapia intracavitária: a radiação é administrada através da colocação na vagina de implantes com uma substância radioactiva; o tratamento pode durar apenas algumas horas ou até 3 dias, findo o qual os implantes são retirados; este tipo de tratamento implica o internamento hospitalar da mulher e medidas de protecção por forma a evitar a exposição indevida de outras pessoas à radiação. Pode ser necessário repetir o tratamento, podendo ser realizado duas ou mais vezes, durante algumas semanas.