Estadiamento cancro do cólon e reto

Estadiamento

 

O estadiamento é o processo pelo qual avaliamos se as células do cancro se espalharam do cólon ou do reto para outras estruturas próximas ou mais distantes. A informação obtida pelo processo de estadiamento determina o estadio da doença, fundamental para o planeamento do tratamento.

 

Os exames para o estadiamento do cancro do cólon e reto podem incluir:

  • Colonoscopia total - caso a mesma não tenha sido efetuada na fase de diagnóstico; é executada para detetar sinais de outro(s) cancro(s) síncrono(s) em todo o órgão
  • TC do tórax, abdómen e pelve - permite verificar se o cancro metastizou para o fígado, os pulmões ou outros órgãos
  • RM do reto (para cancro do reto) - permite avaliar a profundidade do cancro nas diferentes camadas da parede do reto, e se os gânglios linfáticos na vizinhança do reto já foram, ou não, invadidos pelo cancro
  • Ecografia endorectal (para cancro do reto) - consiste na introdução de uma sonda pelo ânus e permite verificar a profundidade que o cancro do reto poderá ter e se os gânglios linfáticos ou outras camadas da parede do cólon foram invadidos

 

Por vezes só é possível concluir o estadiamento local da doença de forma inequívoca após a cirurgia para remover o tumor e análise detalhada deste pela Anatomia Patológica.

 

Com base nos exames de diagnóstico efetuados, o estadiamento permite classificar o cancro do cólon ou do reto da seguinte forma:

Estadio 0 - O cancro não ultrapassou a membrana basal, considerando-se in situ, ou seja está confinado no seu sítio, não invadiu tecidos próximos (na verdade, ainda não cumpre critério de "malignidade");

Estadio I - O cancro invadiu a submucosa ou a muscular;

Estadio II - O cancro invadiu a serosa ou órgãos vizinhos ao cólon;

Estadio III - O cancro invadiu gânglios linfáticos circundantes do cólon;

Estadio IV - O cancro metastizou para órgãos à distância.