Fatores de risco cancro do cólon e reto

Fatores de risco

 

Qualquer comportamento ou condição que aumenta o seu risco de ter uma doença é um fator de risco. Se um ou mais fatores de risco se aplicarem a si, não quer dizer que desenvolverá necessariamente cancro cólon e reto. Da mesma forma, o cancro do cólon e reto pode aparecer em indivíduos que não apresentem fatores de risco conhecidos.

 

Ainda não foi possível encontrar as causas para o cancro do cólon e reto, mas alguns fatores de risco são conhecidos. Os principais fatores de risco são os seguintes:

 

Idade

O risco de cancro do cólon e reto aumenta com a idade. Cerca de 90% dos doentes com cancro têm mais de 50 anos. A idade média de diagnóstico de cancro do cólon e reto é de 72 anos.

 

Polipos do cólon

Nem todos os polipos são iguais. Todos crescem a partir da mucosa, mas diferem no tamanho, forma e aspeto. A probabilidade de ter ou desenvolver cancro num polipo depende do tipo de polipo. Os três tipos são:

- Polipos hiperplásicos - Têm células em crescimento rápido, aparecem no fim do cólon e raramente contêm ou desenvolvem cancro;

- Polipos adenomatosos ou adenomas - Têm células com aspeto diferente das células normais do cólon e são os mais comuns. A maioria não contém, nem desenvolvem cancro, mas a maioria dos polipos com cancro começam como adenomas. O seu risco de ter cancro em adenomas é alto se tiver mais de 3 adenomas, se estes forem maiores que 4 cm e/ou se tiverem o aspeto de uma couve-flor (adenoma viloso);

- Polipos inflamatórios - Raramente têm ou desenvolvem cancro e aparecem no contexto de doenças inflamatórias intestinais.

 

Doença inflamatória intestinal

Os doentes com colite ulcerosa e doença de Crohn têm maior risco de ter cancro do cólon ou do reto.

 

Antecedentes pessoais de cancro

Um doente que teve um cancro do cólon ou do reto, mesmo que não apresente nenhuma evidência de doença, tem maior risco de vir a ter novamente a doença.
Há outros cancros ligados a cancro do cólon e reto, relacionados com uma síndrome genética, que são os cancros do útero, pâncreas e ovário.

 

Antecedentes familiares

Se um familiar de primeiro ou segundo grau teve este tipo de cancro o seu risco é mais elevado para ter esta doença. O risco é maior se vários familiares tiveram cancro do cólon e reto, e se tiveram a doença em idade jovem.

 

Síndrome de Lynch

Dois em cada 100 doentes de cancro do cólon e reto têm Síndrome de Lynch. A idade média do cancro do cólon e reto nestes doentes é de 44 anos. Esta síndrome, também é conhecida por cancro colorretal hereditário não polipoide, de forma a distinguir-se do cancro do cólon na polipose adenomatose familiar. A polipose adenomatosa familiar é rara, os doentes têm cancro pelos 40 anos, e só representa 1% dos casos de cancro do cólon. Na colonoscopia destes doentes é possível visualizar centenas de pólipos.

 

Alimentação

Alguns estudos sugerem que uma alimentação pobre em frutas e vegetais, cálcio e fibra, e rica em gordura, podem constituir um fator de risco, embora não esteja inequivocamente estabelecido.

 

Tabagismo

O consumo de tabaco é considerado um fator de risco, uma vez que aumenta a probabilidade de se desenvolverem pólipos no intestino.