Estadiamento cancro do fígado

Estadiamento

 

O estadiamento é o processo pelo qual nos certificamos se as células do cancro disseminaram a outras estruturas próximas ou mais distantes. A informação obtida pelo processo de estadiamento determina o estadio da doença, fundamental para o planeamento do tratamento.

 

Ao confirmar-se o diagnóstico de cancro do fígado, o passo seguinte consiste em proceder ao seu estadiamento, podendo ser solicitados os seguintes exames caso não tenham sido realizados para obtenção do diagnóstico:

  • TAC abdominal e torácica;
  • Ressonância magnética hepática;
  • Cintigrafia óssea;
  • Tomografia por emissão de positrões (exame PET).

 

Muitas vezes o estadiamento da doença só fica completo após a cirurgia de tratamento, pela análise ao microscópio pela Anatomia Patológica dos tecidos colhidos na cirurgia.

 

Com base nos exames de diagnóstico efectuados, o estadiamento do cancro do fígado pode ser classificado da seguinte forma:

Estadio I - Neste estadio há uma lesão no fígado e não invade vasos sanguíneos ou linfáticos;

Estadio II - Neste estadio temos uma de duas situações: não há uma lesão única e nenhuma das lesões tem mais de 5 cm ou, sendo um a lesão única, a mesma invade vasos sanguíneos ou linfáticos;

Estadio III - Neste estadio há várias lesões e uma delas tem mais que 5 cm, ou há invasão de gânglios linfáticos próximos ou da vesícula, ou dos grandes vasos próximos do fígado;

Estadio IV - Neste estadio o tumor espalhou-se para órgãos à distância.

 

Para o cancro do fígado há ainda uma forma mais simples de classificar a doença:

  • Doença localizada operável - Normalmente tratada por cirurgia;
  • Doença avançada localmente - Não pode ser unicamente tratada por cirurgia mas pode ser alvo de terapêutica cirúrgica;
  • Doença disseminada - Não deve ser operada.