Tratamento cancro do fígado

Tratamento

 

Tendo em conta o estadiamento do cancro do fígado, a equipa clínica multidisciplinar avaliará o melhor tratamento a seguir.

 

O mesmo poderá incluir a cirurgia, radioterapia e a terapêutica sistémica.


- Doença localizada operável - normalmente tratada por cirurgia;

 

- Doença avançada localmente – as opções de tratamento incluem a realização de cirurgia com transplante ou outras técnicas locais, a radioterapia e terapêutica sistémica;

 

- Doença disseminada – as opções de tratamento incluem a terapêutica sistémica e eventualmente a radioterapia.

 

O procedimento cirúrgico para o cancro do fígado dá pelo nome de hepatectomia e consiste numa cirurgia abdominal que pode ser de duas naturezas:

 

- Hepatectomia parcial - Nesta cirurgia remove-se parte do fígado que tem o cancro;

 

- Hepatectomia total - Nesta cirurgia remove-se a totalidade do fígado e tem de se transplantar o fígado dum dador.

 

Nesta cirurgia devem ser retirados também amostras aos gânglios linfáticos.

 

Existem outras técnicas locais usadas para tratar o cancro do fígado realizadas por cirurgiões, radiologistas de intervenção ou radioterapeutas:

 

- Ablação por radiofrequência – procedimento que consiste na introdução de uma sonda que contém pequenos eléctrodos, para destruir as células de cancro através do calor. Geralmente o medico introduz a sonda por via cutânea, com recurso a uma anestesia local e pode ser necessário utilizar uma ecografia, ressonância magnética ou TAC para guiar a sonda até ao tumor;

 

- Criocirurgia – procedimento que consiste na introdução de uma sonda para destruir as células de cancro através do frio;

 

- Injecção de etanol na lesão – o médico introduz uma agulha fina guiada por ecografia, injectando álcool (etanol) directamente no tumor e destrói as células de cancro. Geralmente a agulha é introduzida por recurso a anestesia local, contudo se o doente apresentar vários cancros do fígado, poderá ser necessária anestesia geral;

 

- Embolização – Este procedimento consiste na introdução de um cateter numa artéria da perna para chegar à artéria do fígado. Através do cateter o médico injecta partículas que bloqueiam o fluxo de sangue da artéria do fígado, provocando o enfraquecimento do tumor. O fígado continua a trabalhar normalmente uma vez que recebe o sangue por outros vasos;

 

- Quimioembolização – este procedimento é similar à embolização, sendo que o médico injecta um medicamento de quimioterapia antes de introduzir as partículas que bloqueiam o fluxo de sangue da artéria do fígado. Sem fluxo de sangue, o medicamento mantém-se por mais tempo no fígado.

 

O tratamento por radioterapia no cancro do fígado pode ser de duas naturezas:

 

  • Radioterapia externa – tratamento por radiação ao peito e abdomen, com recurso a um equipamento denominado acelerador linear;

 

  • Radioterapia interna – tratamento por radiação através da introdução de pequenas esferas radioactivas injectadas por cateter na artéria do fígado.Estas esferas bloqueiam o fluxo de sangue da artéria do fígado, provocando o enfraquecimento do tumor e levando a radioterapia de modo selectivo ao local afetado.

 

Relativamente à terapêutica sistémica em cancro do fígado, a quimioterapia clássica é pouco útil e usam-se terapêuticas dirigidas e biológicas cada vez mais frequentemente, nomeadamente a utilização de uma substância chamada surafenib. Este tipo de terapia abranda o crescimento do tumor e reduz o fluxo de sangue para o mesmo.