Estadiamento cancro do pâncreas

Estadiamento

 

O estadiamento é o processo pelo qual nos certificamos se as células do cancro disseminaram a outras estruturas próximas ou mais distantes. A informação obtida pelo processo de estadiamento determina o estadio da doença, fundamental para o planeamento do tratamento.

 

Ao confirmar-se o diagnóstico de cancro do pâncreas, o passo seguinte consiste em proceder ao estadiamento da doença através de exames imagiológicos como a ressonância magnética e a TAC para verificar a extensão da mesma. Podem ser solicitados ainda exames como PET ou procedimentos de estadiamento como a laparoscopia exploradora.

 

Com base nos exames de diagnóstico efectuados, o estadiamento do cancro do pâncreas pode ser classificado da seguinte forma:

Tx – tumor primário, sem estadiamento classificado

T0 – Sem evidência de cancro

Tis – Cancro in situ

T1 – Cancro limitado ao pâncreas, com dimensão inferior a 2cm

T2 – Cancro limitado ao pâncreas, com dimensão superior a 2cm

T3 – Cancro afecta outros tecidos para além do pâncreas, mas sem envolver os vasos, nomeadamente a artéria mesenterica superior

T4 – O cancro envolve os vasos, e neste caso não é operável

 

Caracterização Diagnóstico Classificação do Estadiamento
 Tumor Primário  Gânglios Linfáticos  Metastase
 Tis Não Não
 T1 ou T2a Não Não I, IIA
 T1 ou T2 ou T3 Sim Não  IIB 
 T4 Sim  Não  III 
 Qualquer T Sim ou não  Sim  IV 

 

O estadiamento da doença traduz-se na combinação do tipo de tumor primário, com a presença de doença nos gânglios linfáticos e/ou metástases.

 

Estadio 0 – o cancro do pâncreas é in situ, ou seja, está confinado ao seu sítio;

 

Estadio I – neste estadio o cancro do pâncreas está apenas no pâncreas;

 

Estadio II – neste estadio o cancro invadiu tecidos circundantes e possivelmente gânglios linfáticos. O cancro ainda não atingiu a corrente sanguínea;

 

Estadio III – o cancro do pâncreas atingiu vasos sanguíneos próximos;

 

Estadio IV - o cancro espalhou-se para orgãos à distância, como é o caso do fígado e pulmões.

 

Muitas vezes o estadiamento da doença só fica completo após a cirurgia, pela análise pela Anatomia Patológica ao microscópio, do pâncreas, gânglios e outros tecidos colhidos.

 

Dada a dificuldade de diagnosticar esta doença, em cerca de 65% dos casos o cancro do pâncreas apresenta-se sobre a forma de estadio IV, em 21% dos casos no estadio III, e apenas em 14% do casos o estadio é I ou II.