Cancro do testículo

Cancro do testículo

As células da linhagem germinativa são as responsáveis pela produção dos espermatozóides. No seu estado normal, estas células crescem e dividem-se em novas células, que são formadas à medida que vão sendo necessárias. Quando estas células normais envelhecem ou são danificadas, morrem naturalmente. Quando as células perdem este mecanismo de controlo e sofrem alterações no seu genoma (DNA), tornam-se células de cancro, que não morrem quando envelhecem ou se danificam, e produzem novas células que não são necessárias de forma descontrolada, resultando na formação de um tumor.

 

Ao contrário das células normais, as células de cancro do testículo podem disseminar a outras partes do organismo. A este processo dá-se o nome de metastização.


As células do cancro do testículo podem substituir ou alterar tecidos normais, causando o mau funcionamento de outros órgãos vitais.


O cancro do testículo pode aparecer no tecido de um ou ambos os testículos. Este tumor é mais comum em adultos jovens ou homens de meia-idade. São as células da linhagem germinativa (que dão origem aos espermatozóides) que dão origem a este cancro daí chamar-se tumor germinativo do testículo.

 

O cancro do testículo é o cancro mais comum dos homens entre os 15 e os 35 anos e é responsável por 1% do cancro do homem. Embora sem razão conhecida é muito mais comum em indivíduos de raça caucasiana do que de outras raças e a sua incidência tem vindo a aumentar.

 

O cancro do testículo é um dos tumores onde é possível obter uma elevada taxa de crua, mesmo em estadio avançado.