Estadiamento linfoma não hodgkin

Estadiamento

 

O estadiamento é o processo pelo qual avaliamos a extensão do linfoma não Hodgkin aos vários órgãos e sistemas. A informação obtida pelo processo de estadiamento determina o estadio da doença, fundamental para o tratamento poder ser planeado.

 

Ao confirmar-se o diagnóstico de linfoma não hodgkin, o passo seguinte consiste em proceder ao estadiamento da doença através dos seguintes exames (se não foram efectuados na fase de diagnóstico):

  • Biopsia à medula óssea – o médico utiliza uma agulha para colher amostras de osso e medula, com recurso a anestesia local;
  • Exames radiológicos como a TAC e RMN;
  • Exames de Medicina Nuclear como o PET;
  • Punção lombar – procedimento que consiste na aspiração do líquido cefalorraquidiano da medula, através da utilização de uma agulha e com recurso a anestesia local.

 

Com base nos exames efectuados, o estadiamento do linfoma não hodgkin pode ser classificado em estadios I a IV:

Estadio I - O linfoma encontra-se limitado a um território ganglionar;

Estadio II - O linfoma está limitado a dois territórios ganglionares, ambos do mesmo lado do diafragma, do tórax ou do abdómen;

Estadio III - O linfoma está presente em territórios ganglionares de ambos os lados do diafragma, no tórax e no abdómen;

Estadio IV - Neste estadio o linfoma está disseminado em orgãos não linfóides, como fígado, pulmões ou cérebro.

 

Os linfomas podem ainda ser classificados quanto à agressividade da doença:

Linfomas indolentes - têm tendência a ser a crescer e disseminar devagar e a dar poucos sintomas;

Linfomas agressivos - têm tendência a crescer e disseminar depressa e os doentes costumam estar bastante sintomáticos.

 

Adicionalmente, há um complemento do estadiamento que está relacionado com os sintomas que o doente tem:

A: O doente não tem febre, perda de peso ou suores nocturnos, chama-se a esta tríade sintomas B;

B: O doente tem sintomas B.