Tratamento linfoma não hodgkin

Tratamento

 

Tendo em conta o estadiamento do linfoma não Hodgkin, a equipa clínica multidisciplinar avaliará o melhor tratamento a seguir:

 

Linfoma indolente do estadio I ou II (se for estadio II, os territórios ganglionares afectados devem ser contíguos) - pode optar-se por vigilância apertada se for esse o acordo entre doente e o seu médico; se a decisão for proceder ao tratamento, as opções poderão passar por radioterapia, com ou sem quimioterapia e terapêutica biológica dirigida;

 

Linfoma agressivo do estadio I ou II (se for estadio II os territórios ganglionares afectados devem ser contíguos) - as opções passam por quimioterapia e terapêutica biológica dirigida, com ou sem radioterapia;

 

Linfoma indolente do estadio II, III ou IV - o tratamento depende dos sintoma e da extensão da doença e pode optar-se por vigilância apertada, quimioterapia, terapêutica biológica dirigida ou radioterapia;

 

Linfoma agressivo do estadio II, III ou IV - deve ser tratado com quimioterapia e terapêutica biológica dirigida.

 

O transplante de medula óssea pode ser uma opção de tratamento para alguns casos de linfoma não Hodgkin. Este transplante consiste na aplicação de doses elevadas de quimioterapia ao organismo para destruir a medula óssea, seguindo-se a transplantação de células dendítricas (as células primárias formadas na medula) do dador, que irão restaurar a medula óssea do doente.

 

O transplante pode ser de duas naturezas:

 

  • autólogo – o dador de medula é o próprio doente – as células estaminais são colhidas antes da aplicação de quimioterapia, e reimplantadas de seguida;

 

  • alogénico – as células estaminais a transplantar são doadas por um dador. O dador pode ser ou não um familiar, desde que seja compatível.

 

Caso a doença esteja presente no estômago devido ao vírus do helicobacter pylori, o tratamento do linfoma pode passar pela utilização de antibióticos.

 

A radiação sistémica pode ser também uma opção de tratamento do linfoma não hodgkin. A mesma consiste na injecção de um radiofarmaco que percorre todo o organismo para localizar as células de linfoma e destruí-las.