Projetos de Investigação

Projetos de Investigação

O cancro é uma das área da saúde humana em que mais se faz investigação, básica e clínica. Milhares de hospitais e centros de investigação em todo o mundo ocupam-se deste problema, todos os dias com o objetivo de melhorar os resultados do tratamento destas doenças e procurar a forma de as prevenir.


A investigação clínica é em grande parte constituída por ensaios clínicos terapêuticos ou por estudos que pretendem caracterizar as doenças e os doentes mas sem intervir, não alterando o curso terapêutico. Por outro lado, há projetos de investigação que usam material de doentes para responder a perguntas de processos biológicos e mecanismos usados pelas células, e que não estão centrados no doente.

A esta investigação chamamos investigação básica ou fundamental, para se diferenciar da investigação centrada no doente que é aplicada, clínica  ou de translação.

 

No Instituto CUF de Oncologia há vários projetos de investigação a decorrer da responsabilidade das nossas equipas clínicas, e há outros em parceria com instituições de investigação.

Se está interessado em saber mais sobre investigação em cancro e como participar, fale com a sua equipa clínica.

 

BANCO DE TUMORES - Parceria com Biobanco-IMM CAML

Em coerência com o forte compromisso em participar ativamente na investigação biomédica para a prevenção, diagnóstico e tratamento do cancro, entendeu o Instituto CUF de Oncologia celebrar uma parceria com o Biobanco-IMM CAML, do Instituto de Medicina Molecular, no sentido de iniciar um banco de tumores, armazenando e tratando material biológico no biobanco daquela instituição.

 

Uma parceria desta natureza garante a preservação de amostras biológicas colhidas na atividade assistencial das unidades da rede CUF que diagnosticam e tratam a doença oncológica. Trata-se de um instrumento fundamental para o desenvolvimento de projetos de investigação translacional, não só das suas equipas como também de outros investigadores nacionais ou internacionais, em busca de novas respostas no combate ao cancro.

 

A primeira coleção a constituir será na área do cancro de cólon através de material biológico recolhido na atividade do Hospital CUF Descobertas, em conformidade com o consentimento informado e autorização dos doentes que pretendam contribuir para a investigação nesta área.

 

O Biobanco-IMM CAML congrega atualmente 14 coleções em áreas tão diversificadas como Neurologia, Reumatologia, Ortopedia, Oncologia, Cardiologia, Endocrinologia, entre outras. O Biobanco-IMM CAML cria condições para o estudo da patogénese de várias doenças com enorme impacto sobre a saúde humana, abrindo portas para a identificação de novos testes de diagnóstico e de prognóstico, bem como de novos alvos terapêuticos.

 

A participação ativa na investigação biomédica para a prevenção, diagnóstico e tratamento do cancro é um dos compromissos da rede CUF, que desenvolveu e aprofundou os seus processos internos com vista a responder às exigências organizacionais de adesão ao Biobanco.

 

O Instituto de Medicina Molecular (IMM) é uma instituição de referência em Portugal, tendo o estatuto de Laboratório Associado ao Ministério da Educação e Ciência. A missão do IMM é promover a investigação biomédica básica, clínica e de translação, contribuindo para a compreensão dos mecanismos da doença, o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas, de testes preditivos e de ferramentas de diagnóstico. (http://www.imm.fm.ul.pt)

 

O Biobanco-IMM CAML inscreve-se no espírito da missão do IMM de promover a pesquisa biomédica, clínica e translacional em Portugal, e suportar a formação científica pós-graduada de estudantes, médicos e de outros profissionais de saúde. As condições estruturais do Biobanco-IMM colocam-no numa posição privilegiada na promoção da cooperação nacional e internacional e da relação entre clínicos, investigadores, instituições de investigação e a indústria farmacêutica, contribuindo para a promoção da saúde e do bem-estar das gerações futuras. (http://www.biobanco.pt)

 

Biblioteca de anticorpos circulantes - Parceria com o Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica (IBET)

 

As doenças oncológicas são prevalentes e o seu tratamento é fortemente multidisciplinar e complexo. Nos últimos 20 anos têm sido utilizados anticorpos dirigidos contra substâncias específicas dos tumores e menos presentes nos tecidos normais. Estas modalidades terapêuticas são usadas em tumores como os linfomas, o cancro de mama ou do cólon e do reto.

 

A necessidade de encontrarmos novas moléculas específicas dos tumores é grande, pois queremos desenvolver drogas novas contra essas moléculas. Para isso, temos em curso um projeto em parceria com o Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica - iBET, que pretende caracterizar e construir uma biblioteca de anticorpos presentes no sangue dos nossos doentes, com vista a desenvolver novas terapêuticas contra essas moléculas específicas.

Este projeto de investigação não tem em vista o melhoramento imediato da terapêutica dos doentes voluntários que dão sangue, mas sim a colheita de material biológico para estudo futuro sem impacto no tratamento.

Este projeto teve início no Hospital de Dia do Hospital CUF Descobertas, sendo que os doentes tratados em outros locais e interessados em participar neste projeto podem fazê-lo, deslocando-se a equipa de projeto ao Hospital de Dia da unidade CUF onde o doente é tratado.