Radioterapia intra-operatória

Radioterapia intra-operatória

A radioterapia intra-operatória é uma técnica que permite efectuar o tratamento complementar de radioterapia no decorrer do acto cirúrgico, evitando a deslocação diária durante cerca de 5 semanas a um centro de radioterapia, tempo de duração do tratamento clássico.

 

A Radioterapia intra-operatória está indicada para doentes com as seguintes características: mulheres com mais de 60 anos, candidatas a cirurgia conservadora, com uma lesão apenas e que tenha menos de 2cm e sem invasão dos gânglios linfáticos da axila pelo tumor.

 

Este procedimento tem a vantagem de juntar a cirurgia e a radioterapia num episódio de tratamento único, permitindo-os realizar em ambulatório, sem um maior tempo cirúrgico global. A vantagem é sobretudo grande para as doentes que vivam longe de um centro de radioterapia, uma vez que evita as deslocações diárias ao mesmo.

 

Foi comprovado que esta dose única, agora disponível em Portugal, realizada após remoção do tumor e antes de encerrar a ferida operatória, esteriliza as eventuais células tumorais residuais, apresentando menos toxicidade, menos sequelas na pele e regiões mamárias periféricas e com bom efeito cosmético.

 

Este procedimento cirúrgico, de curta duração, é o resultado de vários anos de investigação e de contactos com várias instituições internacionais de cirurgia do 

cancro da mama. Segue protocolos clínicos estabelecidos tanto nos Estados Unidos da América como a nível Europeu, sendo resultado de uma vasta experiência nesta nova metodologia.