Fibromialgia: o que é e como tratar

Informe-se sobre uma das doenças reumáticas com maior incidência na atualidade.
Publicado por: CUF em
Tags: dor , dores musculares , fadiga , fibromialgia

É uma doença crónica invisível, sobre a qual ainda há muito por saber. A fibromialgia não tem tratamento específico e é capaz de provocar dores intensas, no entanto mantém-se até hoje num relativo anonimato, ao qual não será alheio o facto de apenas ter sido reconhecida como doença pela Organização Mundial de Saúde no final da década de 1970. Estima-se, não obstante, que atinja entre 2 e 8% da população adulta global e ainda que esteja em clara expansão.

 

Fatores de risco

Embora não sejam conhecidas, com rigor, as causas da fibromialgia, sabe-se que as mulheres são quase 10 vezes mais afetadas que os homens. Na verdade, 80 a 90% dos casos diagnosticados são de mulheres com idades compreendidas entre os 30 e os 50 anos. Supõe-se, por outro lado, que o desenvolvimento da doença também possa ser influenciado por fatores como:

  • Stresse;
  • Doenças imunológicas e endocrinológicas;
  • Traumas físicos ou psicológicos.

 

Sinais de alarme

O sintoma predominante da fibromialgia é a dor muscular. Surgindo, na maior parte dos casos, de forma generalizada mas centrando-se posteriormente em regiões específicas, como o pescoço ou a região lombar, esta assemelha-se a um ardor intenso e muitas vezes debilitante. Pode, no entanto, fazer-se acompanhar por outros sintomas, como:

  • Perturbações de sono;
  • Fadiga constante;
  • Dificuldades de concentração;
  • Falta de memória;
  • Dores de cabeça;
  • Espasmos musculares;
  • Rigidez muscular;
  • Formigueiros nos dedos das mãos e dos pés.

 

Os sintomas podem, no entanto, variar em intensidade e até mesmo desaparecer e reaparecer de forma esporádica, consoante a hora e o dia, os níveis de stresse e ansiedade ou as mudanças de temperatura. Também podem ser agravados com a atividade física desregrada.

 

Como tratar a fibromialgia

Ainda não é conhecida cura para a fibromialgia e também ainda não existe nenhum fármaco específico para a doença. Existem, no entanto, medicamentos que podem ajudar a aliviar os sintomas. São eles:

  • Analgésicos;
  • Relaxantes musculares;
  • Antidepressivos.

 

Massagens e técnicas de relaxamento também se podem revelar benéficas para o alívio das dores. Deve ainda procurar adaptar o seu estilo de vida aos sintomas da doença.

  • Evite o stresse;
  • Pratique exercício físico (com um programa adaptado às suas capacidades);
  • Repouse o tempo necessário;
  • Mantenha uma alimentação saudável e equilibrada.

 

Atenção!

Se suspeita que pode sofrer de fibromialgia, consulte o seu médico assistente ou o seu reumatologista. O diagnóstico faz-se quando a dor existe por mais de três meses em pelo menos 12 de 18 pontos específicos do corpo. Entretanto, realizam-se exames para excluir outras doenças que possam causar as queixas.