Gânglios aumentados: quando são motivo para preocupação?

Normalmente não são motivo para alarme, mas os pais devem estar atento a alguns sinais.
Publicado por: Mariana Coutinho Nogueira em
Tags: adenopatias , gânglio , gânglios , gânglios aumentados , gânglios linfáticos

Adenopatias são gânglios linfáticos, de qualquer região do corpo, com tamanho, número ou consistência anormal. São muito comuns na infância mas, na maioria dos casos, não são clinicamente importantes. Normalmente, estes gânglios são em número e/ou tamanho aumentados e, por isso, facilmente palpáveis. As localizações mais frequentes são o pescoço, axila e zona inguinal (virilha).

 

Qual é a causa?

Frequentemente, os gânglios linfáticos encontram-se aumentados em crianças pequenas (com menos de dois anos) porque o sistema imunitário vai sendo estimulado em resposta ao contacto com o ambiente circulante, de modo a ganhar anticorpos.

Por outro lado, em idade pediátrica, na maioria dos casos, os gânglios linfáticos palpáveis representam uma resposta imunitária transitória a uma infeção/inflamação benigna/viral local (como por exemplo, otite, amigdalite, infeção respiratória, etc.), sendo que desaparecem espontaneamente, podendo os pediatras tranquilizar os pais.

 

Sinais de alarme

Em alguns casos, os gânglios linfáticos palpáveis podem ser causados por doenças mais graves, como alguns tipos de infeção (tuberculose, por exemplo) ou doença oncológica.

Estes são os sinais de alarme a que os pais devem estar atentos e que são motivo para consultarem o pediatra:

  • Os gânglios aumentarem de tamanho progressivamente ou não diminuírem em 4 semanas;
  • Terem uma consistência dura;
  • A criança apresentar sintomas como perda de peso, prostração, perda de apetite ou suar muito; 
  • Aparecimento de sinais inflamatórios locais (dor, vermelhidão e calor) ou pus, com ou sem febre; 
  • Os gânglios localizarem-se junto da clavícula ou nas axilas;
  • A presença de gânglios aumentados em mais de duas zonas do corpo diferentes.