Os seus maxilares estão no lugar certo?

As alterações do crescimento da face na pré-adolescência podem levar a problemas nos maxilares. Sabe quando se justifica a cirurgia ortognática?
Publicado por: Maria João Monteiro em
Tags: adolescência , crescimento da face , dentária , estética , maxilares , ortodontia , rosto
Os seus maxilares estão no lugar certo?

Por altura da pré-adolescência, com o crescimento dos ossos do rosto, podem ocorrer anomalias na harmonia estética ou dentária, devido à mudança de posição ou tamanho do maxilar superior e/ou mandíbula em relação ao esqueleto do crânio.

Os jovens pode notar que o queixo ficou mais comprido - ou muito avançado, ou muito recuado, ou até mesmo desviado para um dos lados. Podem também sentir que o seu sorriso passou a mostrar demasiado a gengiva, que os dentes anteriores não contactam ou, pelo contrário, que os incisivos superiores tapam completamente os inferiores.

Além de perturbarem a estética do rosto, estas alterações fazem-se acompanhar muitas vezes por problemas ao nível da mastigação ou pelo aparecimento de ruídos ou dor nas articulações temporomandibulares, semelhantes à dor de ouvidos.

 

Tipos de anomalias

Regra geral, as anomalias podem ser:

  • Sagitais:  quando um dos maxilares está avançado (prognatismo) ou recuado (retrognatismo);
  • Verticais: por excesso ou por insuficiência. No primeiro caso, o rosto é alongado e pode haver mordida aberta e sorriso com grande exposição da gengiva; no segundo, o rosto é mais arredondado e pode haver um grande encobrimento dos dentes inferiores pelos superiores;
  • Transversais: que se podem acompanhar por assimetria facial.

Em muitos casos, as alterações surgem associadas a dois ou três tipos.

 

Atenção!

Se durante a observação clínica se tornar evidente que outras estruturas do rosto - como o nariz, o mento ou as orelhas - se apresentam em desarmonia, deverá planear-se a sua correção.

 

Tratamento

Após um estudo aprofundado e a quantificação dos desvios encontrados em cada caso, resulta uma proposta terapêutica que engloba duas fases distintas:

  1. Preparação ortodôntica: envolve o uso de aparelhos de ortodontia fixos nos dois maxilares, a fim de colocar os dentes nas posições corretas para que se ajustem para a mastigação quando os maxilares forem operados.
  2. Cirurgia: pode ser realizada em apenas um ou nos dois maxilares. É feita sob anestesia geral e por acesso intraoral, tendo como objetivo colocar os maxilares na posição corrigida e pré-determinada, proporcionando uma função mastigatória correta e estável, uma via aérea ampla e uma proporção facial harmoniosa.