Previna as lesões musculares e dos tendões

Conheça melhor este tipo de lesões, as suas causas, e aprenda a previna-las.
Publicado por: CUF em
Tags: Check-up desportivo , Consulta de Lesões do Desportista , Consulta do Desportista , lesões , lesões dos tendões , lesões musculares

As lesões musculares são a causa mais frequente de incapacidade física no desporto, correspondendo a cerca de 30 a 50% das lesões. As lesões musculares podem ser causadas por pancadas diretas e estiramentos. Cerca de 90% das lesões musculares no desporto correspondem a estiramentos.

As lesões musculares podem dividir-se consoante o grau:

  • Ligeiras (grau I) Com presença de inchaço e desconforto;
  • Moderadas (grau II) Com perda de função e formação de hematoma ou equimose;
  • Graves (grau III) Com rotura completa, dor intensa e hematoma de grandes dimensões.

 

As causas das lesões musculares

De um modo geral, as lesões musculares devem-se a métodos de treino incorretos (a), anomalias estruturais (b) e fraqueza dos músculos (c).

 

a) Os métodos de treino incorretos levam a que não se recupere do treino, posteriormente, de forma adequada. Não se interromper a atividade quando surge algum tipo de dor pode levar ao desenvolvimento de uma lesão muscular.

 

b) As anomalias estruturais podem aumentar o risco de lesão muscular ao provocarem uma distribuição desigual do esforço pelas várias partes do corpo. Isto acontece, por exemplo, quando corremos em superfícies irregulares ou quando as pernas são desiguais em comprimento, o que leva a que se exerça uma força maior sobre a anca e o joelho da perna mais comprida. Um dos fatores biomecânicos que causa a maioria das lesões do pé, da perna e da anca é a excessiva rotação dos pés para dentro depois de entrarem em contacto com o solo.

 

c) Os músculos, os tendões e os ligamentos rompem-se quando são submetidos a esforços superiores à sua força intrínseca. Por exemplo, podem lesionar-se se forem demasiado fracos ou rígidos para o exercício que se está a tentar praticar. As articulações são mais propensas às lesões quando os músculos e os ligamentos que as sustentam são fracos, como acontece depois de uma entorse. Os ossos que se encontram enfraquecidos pela osteoporose podem fraturar-se mais facilmente.

 

Como prevenir as lesões

  1. As lesões crónicas podem ser prevenidas realizando-se um intervalo de um mínimo de 2 dias entre os períodos de treino intensivo ou alternando os exercícios que forçam diferentes partes do corpo.
  2. Interromper o exercício ao primeiro sinal de dor limita a lesão a essas fibras, permitindo uma recuperação mais rápida.
  3. Os exercícios de fortalecimento ajudam a prevenir as lesões. Devemos exercitar os músculos contra uma maior resistência de forma progressiva, como praticar um desporto cada vez mais intenso.

 

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico de uma lesão é essencialmente clínico e a ecografia e a ressonância magnética são utilizadas como exames complementares à avaliação clínica. Os princípios do tratamento das lesões musculares assentam no método PRICE: proteção, repouso, gelo, compressão e elevação. Os anti-inflamatórios não esteroides ajudam a controlar a dor e a inflamação e a fisioterapia contribuem para o processo de reabilitação. A duração da fisioterapia dependerá do grau de gravidade e complexidade da lesão. As injeções de corticoides na área lesionada ou nos tecidos circundantes aliviam a dor e reduzem o inchaço. Porém, estas injeções podem atrasar o processo de cura, aumentando o risco de lesão do tendão ou da cartilagem.

A cirurgia tem indicações muito específicas.

 

Quando regressar à prática de desporto

Embora o tratamento permita, na maior parte dos casos, uma recuperação eficaz, as consequências deste tipo de lesões podem, por vezes, ser graves e impedir, durante semanas, ou até meses, o regresso à atividade desportiva. A atividade ou o desporto que causou a lesão devem ser evitados até à cura. A substituição por atividades que não forcem a zona lesionada é preferível à inatividade completa, visto que esta causa a perda da massa muscular, da força e da resistência.

 

Aquecimento e arrefecimento

O aquecimento antes de se iniciar qualquer exercício é essencial para prevenir lesões. O aquecimento prepara os músculos para exercícios enérgicos. Já o arrefecimento corresponde a uma redução gradual da velocidade antes de se interromper o exercício e evita as tonturas ao manter a circulação sanguínea. Quando se interrompe bruscamente um exercício enérgico, o sangue pode acumular-se nas veias das pernas, reduzindo momentaneamente a irrigação cerebral e provocando tonturas ou desmaio. O arrefecimento também ajuda a eliminar resíduos (como o ácido lático) dos músculos.

 

Outros cuidados a ter para prevenir lesões

Os exercícios de alongamento não parecem prevenir as lesões mas permitem alongar os músculos de forma a que estes se possam contrair mais eficazmente e funcionar melhor. O uso de equipamento adequado a cada modalidade/atividade é essencial na prevenção de lesões musculares e dos tendões.