Artrite psoriática: soa-lhe familiar?

Tem psoríase ou familiares com esta doença? Então é possível que venha a sofrer de artrite psoriática. Saiba reconhecer os sintomas.
Publicado por: CUF em
Tags: artrite psoriática , psoríase , artrite , articulações
Artrite psoriática

A artrite psoriática é uma doença articular inflamatória crónica que afeta pessoas com história pessoal ou familiar de psoríase. Atinge as articulações e pode provocar dor, limitação e incapacidade funcional em graus variáveis. Evolui por surtos (crises com sintomas) intercalados por períodos de remissão (períodos sem sintomas), de forma imprevisível. Para já, não existe cura. Também não existe forma de prevenir.

 

Tipos de artrite psoriática

Teoricamente, estão descritos vários tipos de artrite psoriática: 

  • Forma oligoarticular, que afeta até quatro articulações, geralmente dos membros inferiores e de forma assimétrica; 
  • Forma simétrica, semelhante à artrite reumatoide
  • Forma espondilítica, que afeta sobretudo as articulações da coluna 
  • Forma com envolvimento predominante das interfalângicas distais
  • Forma mutilante, que é a mais destrutiva e agressiva

Apesar de a descrição destes cinco tipos de artrite psoriática, na prática um doente pode apresentar simultaneamente características dos diferentes tipos da doença. 

Além do envolvimento articular, outras estruturas podem também estar inflamadas, particularmente as unhas, o olho e as enteses (sítios de inserção dos tendões no osso). A artrite psoriática pode ainda estar associada a outras doenças importantes como diabetes mellitus, hipertensão arterial e dislipidemia.

 

Prevalência e causas da artrite psoriática

A psoríase afeta entre 2 a 3% da população. Destas, cerca de 20% desenvolve artrite psoriática. Na maioria dos casos a psoríase surge antes da artrite. Contudo, em cerca de 15 a 20% dos casos, a artrite antecede o aparecimento da psoríase, apesar de muitas vezes o doente referir história familiar de psoríase.

A causa da doença é desconhecida mas parece estar relacionada com fatores ambientais, infeciosos e imunogenéticos, já que a história familiar e a presença de determinados antigénios do sistema HLA favorecem o seu aparecimento. Acredita-se que a exposição de um indivíduo geneticamente predisposto a um determinado fator ambiental, possa induzir alterações no seu sistema imunitário que vão dar origem à doença.

 

Fatores de risco e desencadeantes

A artrite psoriática atinge homens e mulheres sem predomínio de género, sendo mais comum em caucasianos entre os 35 e os 55 anos. Existem fatores que aumentam o risco de sofrer de artrite psoriática:

  • Ter psoríase
  • Ter familiares com psoríase ou artrite psoriática

 

Potenciais sinais e sintomas da artrite psoriática

A artrite psoriática pode manifestar-se através de vários sintomas:

  • Dor, desconforto, tumefação ou rigidez nas articulações, sobretudo das mãos, joelhos tornozelos e pés
  • Dor e rigidez matinal da coluna
  • Deformação das articulações
  • Limitação dos movimentos
  • Entesite (particularmente inflamação do tendão de Aquiles e da fáscia plantar)
  • Problemas nas unhas
  • Cansaço

 

Como se diagnostica

O diagnóstico da artrite psoriática é estabelecido pelo reumatologista através dos sintomas articulares e da história pessoal e/ou familiar de psoríase em associação à realização de exames complementares de diagnóstico: análises, radiografias das articulações afetadas e ressonância magnética.

 

Como se trata a artrite psoriática

A abordagem à artrite psoriática deverá ser multidisciplinar, envolvendo reumatologia, dermatologia e, em alguns casos, medicina física e de reabilitação. 

O tratamento da doença visa o alívio sintomático das queixas, mas sobretudo prevenir sequelas irreversíveis e a progressão da doença. Assenta em três categorias principais: 

  • Tratamento não farmacológico
    Os programas de exercício são altamente recomendados e fazem parte das recomendações internacionais de tratamento da artrite psoriática, devendo ser individualizados consoante o doente. 
  • Tratamento farmacológico
    Engloba diferentes classes de fármacos nomeadamente os anti-inflamatórios não esteroides (AINE), os corticoides (em alguns casos particulares) e os medicamentos modificadores da doença (DMARD convencionais e os DMARD biológicos).
  • Cirurgia
    Em casos mais graves de destruição de articulações pode haver necessidade de recorrer à cirurgia. 

 

Potenciais complicações

A maior parte das pessoas com artrite psoriática tem um bom prognóstico. São poucos os doentes que sofrem de formas mais graves, com deformação marcada e incapacidade. É possível prevenir a destruição articular com a instituição precoce do tratamento adequado. Como já referido, a artrite psoriática associa-se à presença de diabetes mellitus, hipertensão arterial e dislipidemia, pelo que todos os doentes devem ser rastreados para estas doenças e tratados, caso se confirmem.