Como identificar alergias para controlar a asma na infância

A identificação precoce de doenças alérgicas é fulcral na redução do impacto da asma pediátrica. Saiba a que sinais se deve manter atento.
Publicado por: CUF em
Tags: alergia alimentar , alergia medicamentosa , alergias , asma , asma brônquica , crianças , crises de asma , eczema atópico , rinite alérgica
Como identificar alergias para controlar a asma na infância

O eficaz controlo da asma pediátrica depende essencialmente da identificação precoce de potenciais doenças alérgicas. É esta a principal conclusão do estudo Early Childhood Wheeze Phenotypes and Its Relation to Asthma Persistence Until Adolescence, realizado por especialistas do Centro de Alergia dos Hospitais CUF e vencedor da 5.ª edição do Prémio Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa/MSD em Epidemiologia Clínica, que acrescenta que apenas um diagnóstico atempado permite controlar as queixas e atuar em concordância com a evolução prevista da asma, reduzindo a incidência de internamentos e idas a serviços de urgência.

 

A questão é particularmente pertinente considerando a prevalência de alergias respiratórias nas crianças em idade pediátrica, assim como o facto de muitas sofrerem de várias em simultâneo:

  • Mais de 30% apresentam sintomas de rinite;
  • Mais de 10% apresentam sintomas de asma;
  • Mais de 10% são afetadas por eczema atópico;
  • Mais de 5% são afetadas por alergias alimentares;
  • Entre 2% e 5% terão alergia a medicamentos.

 

Para reduzir o impacto da asma pediátrica, deve manter-se atento e procurar ajuda especializada caso a criança apresente, de forma recorrente, sintomas destas doenças.

 

Como identificar a rinite

Resultante de uma inflamação da mucosa nasal que se pode estender aos olhos, ouvidos ou garganta, a rinite tanto pode ser provocada por alergias a substâncias estranhas (alergénios) como ser de natureza não-alérgica. Seja qual for o caso, os sintomas habituais da doença são facilmente confundíveis com os de uma constipação:

  • Espirros frequentes;
  • Congestão ou corrimento nasal;
  • Comichão no nariz e/ou na garganta;
  • Conjuntivite alérgica.

 

A mais evidente diferença entre a rinite e a constipação é que a primeira não costuma provocar febre ou mal-estar físico, causando porém um incómodo que pode ser aliviado com descongestionantes nasais (por poucos dias), anti-histamínicos não sedativos e corticosteroides tópicos nasais.

 

Como identificar a asma

Causada pela inflamação e obstrução generalizada das vias aéreas, a asma pode manifestar-se de várias formas e ter vários graus de gravidade, mas significa, na maior parte dos casos:

  • Dispneia (falta de ar);
  • Pieira recorrente;
  • Tosse (principalmente no período noturno);
  • Aperto torácico.

 

Caso suspeite que a criança tem asma, deve levá-la ao médico, a fim de ser examinada. A função respiratória poderá ser estudada e determinada a eventual obstrução brônquica. Outro fator relevante no diagnóstico é a história clínica familiar, assim como a da própria criança.

 

A asma não tem cura, mas pode ser controlada e isto deve acontecer logo desde os primeiros anos. É, por exemplo, essencial manter a criança em ambientes limpos e ventilados, evitando a sua exposição a eventuais alergénios ou a fumo de tabaco. Existem também vários medicamentos que poderão ser receitados para aliviar os sintomas provocados pela doença, entre os quais se destacam os broncodilatadores e os corticosteroides por via inalatória. Também existem vacinas antialérgicas que podem modificar a evolução da doença.

 

Como identificar o eczema atópico

O eczema atópico surge geralmente nos primeiros anos de vida da criança, sobretudo quando esta já tem associada uma história familiar de asma, rinite ou eczema atópico.

 

O principal sintoma da doença é o prurido cutâneo recorrente (comichão), que leva a criança a coçar-se intensamente, mesmo durante o sono, podendo provocar erupções avermelhadas e exsudação (eczema atópico agudo), secura e descamação da pele (eczema atópico crónico), ou ainda escoriações, infeções e lesões cicatriciais. As lesões podem ser agravadas em períodos de maior stresse emocional.

 

Embora o eczema atópico não tenha cura, os sintomas podem ser aliviados com corticosteroides em cremes ou pomadas, anti-histamínicos ou outros anti-inflamatórios tópicos ou sistémicos. Deve ainda ter o cuidado de manter a criança com as unhas curtas, de modo a minimizar os danos causados pela coceira.

 

Como identificar alergias alimentares ou medicamentosas

A criança pode igualmente ser alérgica a certos alimentos ou medicamentos. Suspeite de alergia se, próximo da ingestão ou administração de um alimento ou medicamento específico, a criança manifestar:

  • Náuseas, vómitos, diarreia ou cólicas abdominais;
  • Tosse, espirros, sibilância, lacrimejo ou dificuldades respiratórias;
  • Urticária ou inchaço cutâneo;
  • Tonturas, palpitações, desmaio, choque ou hipotensão.

 

Tanto as alergias alimentares como as medicamentosas podem desencadear graves reações alérgicas (anafilaxia), pelo que, além de identificar (e evitar) a substância responsável pela alergia, deve procurar ajuda médica especializada, a fim de monitorizar a situação e, se necessário, ver-lhe prescrita uma caneta ("kit") de adrenalina, para autoadministração em situações de emergência.