Fui picado por um peixe-aranha, e agora?

Peixe-aranha, alforrecas, caravelas-portuguesas e ouriços - são várias as "ameaças" que se escondem debaixo de água e da areia das praias. Saiba o que fazer se for picado.
Publicado por: CUF em
Tags: peixe-aranha , alforreca , caravela-portuguesa , praia , mar
Picada no mar

Peixe-aranha, alforreca, ouriços e caravela-portuguesa, apresentam espinhos ou tentáculos como mecanismos de defesa. Uma picada destes animais marinhos é habitualmente bastante dolorosa, mas as lesões que provocam, geralmente, não são graves e podem ser tratadas de imediato, sem que seja necessária assistência médica. No entanto, há exceções e, por vezes, dirigir-se a um hospital é a melhor decisão.

Aprenda a prevenir estes acidentes e saiba como deve agir quando acontecem.

 

Qual o aspeto e onde se encontram estes animais marinhos?

O peixe-aranha está normalmente soterrado na areia e tem espinhos venenosos na região dorsal e guelras. Por ser claro como a areia consegue facilmente camuflar-se, picando quem o pisa.

Os ouriços encontram-se em águas rasas, rochas ou algas. Têm um corpo pequeno e redondo, coberto de espinhos afiados e rijos, que podem perfurar a pele.

As alforrecas têm um corpo em forma de cogumelo, de aspeto gelatinoso, com tentáculos longos e finos na parte de baixo do seu corpo, cobertos de pequenas bolsas venenosas que provocam queimaduras. As alforrecas vivem em várias zonas do mundo e podem ser encontradas em águas de profundidade variável.

A caravela-portuguesa, da família das alforrecas, tem uma bolsa cheia de gás de cor roxa-azulada e flutua à superfície da água. A sua picada é muito dolorosa e passível de provocar queimaduras com gravidade.

 

Quais os sintomas mais comuns

Se foi picado por algum destes animais marinhos, os principais sintomas são: dor intensa no local da picada, erupção cutânea com zona vermelha e prurido (comichão). No caso da alforreca e da caravela-portuguesa, poderão surgir zonas circulares inflamadas (vergões) com dor intensa associada.

 

O que fazer se foi picado

Se possível, peça ajuda ao nadador-salvador, que tem um kit de primeiros-socorros e está preparado para este tipo de situações. Se esta não é uma opção viável, há algumas medidas que pode tomar e que são tratamentos comuns a todas estas situações:

  • Lave abundantemente a zona afetada com água do mar e não com água doce.
  • Remova qualquer espinho (use uma pinça ou o canto de um cartão de crédito, por exemplo) ou tentáculo que tenha ficado na pele.
  • Coloque a zona picada de molho em água quente (até uma temperatura que consiga tolerar) por pelo menos 30 minutos. Se não o conseguir fazer, use panos ou toalhas quentes ou tome um duche quente.
  • Tome medicamentos para as dores, como paracetamol ou ibuprofeno.

 

Atenção: o uso do vinagre não é consensual, nem aplicável a todas as situações - no caso de uma picada de alforrecas, mergulhar a zona afetada em vinagre pode ajudar a prevenir a libertação de toxinas, mas no caso da caravela-portuguesa o vinagre não é indicado.

 

O que nunca deve fazer

  • Urinar sobre a lesão.
  • Aplicar gelo.
  • Tocar nos espinhos diretamente com as mãos.
  • Cobrir a ferida.

 

Dirija-se ao hospital se...

  • Tem dor severa que não desaparece com os medicamentos usuais e/ou em espaço de tempo razoável.
  • A picada for no rosto ou órgãos genitais.
  • Tem sintomas graves como: dificuldade respiratória, dor no peito, desmaio, grande inchaço à volta da lesão, hemorragia, vómitos, tonturas ou perda de consciência.

 

Como evitar ser picado

Embora a picada destes animais seja muitas vezes imprevisível - costumam estar escondidos debaixo da areia - existem algumas estratégias que pode colocar em prática quando for à praia e que o podem ajudar a evitar acidentes:

  • Verifique se existem sinais de aviso na praia quanto à existência, por exemplo, de alforrecas.
  • Calce sapatos ou chinelos à prova de água quando estiver a caminhar em zonas rochosas ou com pouca altura de água, durante a maré vazia, por exemplo.
  • Não mexa em animais marinhos que apresentem picos, espigões ou um aspeto suspeito.
  • Vigie sempre as crianças.