Consulta de Rastreio de Tumores da Cabeça e Pescoço

A consulta de Rastreio de Tumores da Cabeça e Pescoço destina-se a pessoas  que tenham sintomas que levem à suspeita da presença deste tipo de tumores.

Em Portugal a prevalência de casos de Tumores da Cabeça e Pescoço é de cerca de 2.900 novos casos por ano. Existem 630 novos casos por ano de cancro da laringe, 200 novos casos por ano de cancro da hipofaringe, e cerca de 220 novos casos por ano de cancro da orofaringe.

Estima-se que cerca de 85% dos cancros da cabeça e pescoço, especialmente os da cavidade oral, orofaringe, hipofaringe e laringe estão associados ao uso do tabaco.

Os estudos mostram que uma pessoa que fume um maço de tabaco por dia tem 6 vezes mais probablidade de contrair a doença. Este risco aumenta 20 vezes, se ao tabaco se juntar a ingestão de duas bebidas alcoólicas por dia. Riscos adicionais incluem exposição ao pó de madeira, pó de niquel, má higiene oral e excessiva exposição solar.

Quais são os sintomas que nos preocupam e nos levam à suspeita deste tipo de tumores?

Queixas persistentes com duração superior a 2 semanas como rouquidão, dificuldade em engolir, dores de garganta, massas no pescoço, lesões e feridas da boca, obstrução nasal.

Os tumores da Cabeça e Pescoço são diagnosticados através de exame clínico por um médico Otorrinolaringologista após a realização de endoscopia e de uma bateria de testes, com recurso a imagiologia e anatomia patológica sempre que necessário.

A Unidade de Otorrinolaringologia do Hospital CUF Descobertas tem uma equipa altamente especializada no rastreio dos tumores da Cabeça e Pescoço e apetrechada com os melhores meios técnicos para o realizar. A diferenciação entre tumores benignos e malignos e a definição do estadiamento do desenvolvimento do tumor é essencial à decisão terapêutica.

A cura destes tumores depende de um diagnóstico precoce, de forma a ser tratado o mais rapidamente possível.