Divertículo de Zenker: já ouviu falar desta doença da faringe?

Problemas de deglutição, refluxo, tosse e mau hálito podem ser sintomas de divertículo de Zenker. Embora seja uma doença rara pode acometer qualquer pessoa. Saiba mais.
Publicado por: CUF em
Tags: divertículo de zenker , refluxo , problemas de deglutição , hipofaringe
Sintomas Divertículo de Zenker

O divertículo de Zenker é um problema raro do trato digestivo superior, afetando duas em cada 100 mil pessoas por ano, sobretudo acima dos 60 anos de idade. Manifesta-se pela formação de uma protusão e de uma espécie de bolsa ou saco (divertículo faringoesofágico) na mucosa da hipofaringe que desvia os alimentos do seu percurso normal entre a boca e o esófago, retendo-os nesse espaço.

 

Causas do divertículo de Zenker

A formação de um divertículo dever-se-á a uma disfunção do músculo da hipofaringe, com relaxamento incompleto do músculo, a que poderá associar-se um aumento da pressão nesta área.

 

Fatores de risco do divertículo de Zenker

Atinge sobretudo homens (duas a três vezes mais do que as mulheres) entre a sexta e a oitava décadas de vida.

 

Sinais e sintomas do divertículo de Zenker

Esta doença pode provocar sintomas mais ou menos incapacitantes, tais como:

  • Desconforto, dificuldade ou dor ao engolir alimentos (disfagia)
  • Ruído estranho ao deglutir
  • Aumento da salivação
  • Tumefação ou sensação de corpo estranho na garganta
  • Regurgitação ou refluxo (regresso dos alimentos retidos e não digeridos à boca)
  • Tosse
  • Engasgamento
  • Alteração da voz (disfonia)
  • Mau hálito
  • Perda de peso e desnutrição

 

Como se diagnostica o divertículo de Zenker?

Perante a existência de sinais e sintomas sugestivos de divertículo de Zenker, o seu médico poderá prescrever-lhe alguns exames complementares de diagnóstico, designadamente raio-X e endoscopia digestiva alta, para confirmar ou infirmar a suspeita.

 

Tratamento do divertículo de Zenker

Os estudos que comparam o tratamento cirúrgico e o tratamento endoscópico do divertículo de Zenker não mostram diferenças significativas em termos de eficácia, embora a abordagem cirúrgica esteja associada a maior tempo de internamento e absentismo, morbilidade e até casos descritos de mortalidade.

A endoscopia permite um procedimento do ambulatório com a alta no mesmo dia e está associada a uma muito baixa taxa de complicações. Os doentes podem retomar a alimentação oral no mesmo dia e o trabalho no dia seguinte. A única desvantagem do tratamento endoscópico é a taxa de recidiva que se situa nos 20% ao fim de vários anos.

Contudo, estes doentes podem ser tratados de novo com o mesmo método e com a mesma eficácia. Este é o tipo de doença em que o tratamento cirúrgico foi eficazmente substituído em definitivo pelo tratamento endoscópico.

 

Prognóstico do divertículo de Zenker

Após o tratamento, o prognóstico é muito favorável. Nos primeiros dias a seguir ao tratamento os doentes terão de seguir uma dieta líquida, mas rapidamente poderão reintroduzir os alimentos sólidos e retomar a sua dieta habitual.

 

Atenção!

Com o passar do tempo o divertículo vai retendo alimentos não digeridos e aumentando de tamanho, o que provoca um agravamento das queixas e do quadro clínico.