Falta de ar: vem de onde?

Já sentiu falta de ar? Sabe de onde vem essa sensação de que o ar não chega aos pulmões? Respire fundo e leia até ao fim.
Publicado por: CUF em
Tags: dificuldade em respirar , dispneia , falta de ar , oxigénio
Falta de ar

A falta de ar recorrente (ou dispneia, na linguagem médica) é um sintoma de uma doença e não uma doença em si mesma. Ela pode indicar que o oxigénio não está a chegar às células e tecidos do organismo em quantidade suficiente. Constitui, por isso, um sinal de alerta.

 

Como se caracteriza?

A falta de ar caracteriza-se por desconforto ou dificuldade em respirar, podendo associar-se a outras queixas ou sinais como aperto no peito, cansaço e fadiga ao realizar tarefas simples da vida diária (andar, subir escadas ou mesmo comer).

 

Potenciais causas

A falta de ar pode acontecer por várias razões:

  • O oxigénio está abaixo dos níveis desejáveis (por exemplo, a grandes altitudes);
  • Algo está a obstruir as vias aéreas;
  • Existe um problema no coração ou uma obstrução à circulação sanguínea;
  • Os níveis de glóbulos vermelhos/hemoglobina, que transportam o oxigénio no sangue, estão demasiado baixos;
  • Um problema nos pulmões impossibilita as trocas gasosas.

 

Problemas associados

Existem várias doenças que podem ter como sintoma a falta de ar:

  • Doenças respiratórias (como asma, DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica), pneumonia, tuberculose, infeção);
  • Doenças pulmonares (como infeção, edema);
  • Doença cardíaca (como enfarte, insuficiência cardíaca);
  • Anemia;
  • Anafilaxia (reação alérgica grave);
  • Ansiedade ou crise de pânico.

 

Como se deteta

Existem exames simples que permitem saber se os níveis de oxigénio estão baixos ou se a falta de ar é uma sensação decorrente, por exemplo, de ansiedade ou crise de pânico. O oxímetro de pulso é um exame não invasivo que permite medir a saturação de oxigénio (esta deve estar acima dos 95%). Existe também a gasometria arterial, feita através de exame de sangue.

 

Como se trata

As causas de falta de ar são tão variadas que o tratamento dependerá sempre da causa subjacente. Assim, o tratamento poderá consistir na administração de medicamentos (antibióticos, corticoides, etc), por via inalatória, oral ou outra; ou de oxigénio, incluindo através de máscara, ventilação mecânica ou mesmo intubação.

 

Prevenção

Há um conjunto de recomendações que ajudam a prevenir a falta de ar. Procure segui-las no seu dia a dia:

  • Combata os fatores de risco, como tabagismo, obesidade e sedentarismo;
  • Se tem asma, evite os alergénios que podem provocar falta de ar;
  • Use a medicação de acordo com a prescrição médica, mesmo que se sinta bem;
  • Mantenha-se ativo;
  • Treine a respiração com algumas técnicas respiratórias;
  • Faça exercício para fortalecer os músculos da caixa torácica (sob recomendação e orientação de um profissional de saúde).

 

Atenção!

Um tom arroxeado em zonas como os lábios, nariz ou dedos é sinal de falta de oxigenação dos tecidos. Procure ajuda médica imediata.

 

Sabia que...

As pessoas com determinadas doenças respiratórias podem ter falta de ar quando não tomam os medicamentos ou quando não os tomam conforme prescrição médica por pensarem que já não precisam.