Insolação: como prevenir e atuar

Pode ter consequência muito graves e, por vezes, fatais. Aprenda a preveni-la e saiba o que fazer em caso de emergência
Publicado por: CUF em
Tags: calor , Consequências da desidratação , Desidratação , náuseas , reidratação , sol , verão , vómitos

Todos sabemos que a exposição solar desprotegida  pode provocar o desenvolvimento de cancro da pele. Mas talvez não saiba que o calor excessivo também pode ter consequências graves. De acordo com a Mayo Clinic, a insolação é causada pelo sobreaquecimento do corpo, geralmente como resultado de uma exposição prolongada a temperaturas elevadas e pode dever-se, igualmente, à prática de exercício físico intenso e extenuante quando está calor. O vestuário demasiado quente (que impede que o suor evapore facilmente, arrefecendo o corpo), a desidratação (a ingestão insuficiente de líquidos faz com que os fluidos perdidos através da transpiração não sejam substituídos) e o consumo de bebidas alcoólicas (que afeta a capacidade do corpo de regular a temperatura) contribuem, igualmente, para a insolação.

A insolação pode ocorrer se a temperatura corporal atingir os 40º graus e requer cuidados médicos imediatos pois, se não for tratada, pode provocar danos nos órgãos vitais  (cérebro, coração, rins...). Quanto mais tarde for iniciado o tratamento, maior é a probabilidade de a insolação causar complicações graves e poder, até, ser fatal. 

 

Fatores de risco 

A idade é um fator de risco importante, pois a capacidade de regular o calor excessivo depende muito do desempenho eficaz do sistema nervoso central. Assim, as crianças são um grupo especialmente vulnerável aos efeitos do calor em excesso, já que o sistema nervoso central dos mais pequenos ainda não está completamente desenvolvido. Os seniores também correm um risco maior de insolação, pois o sistema nervoso central começa a deteriorar-se com o processo de envelhecimento. Por outro lado, tanto as crianças como os seniores têm dificuldades em permanecer hidratados. Outro fator de risco é a prática de exercício físico intenso (futebol, treino militar, entre outras atividades) quando estão temperaturas elevadas. Outros fatores de risco incluem a exposição repentina a uma temperatura elevada (férias num país tropical, por exemplo); toma de determinados medicamentos que podem afetar a capacidade de hidratação e de resposta ao calor; patologias como a obesidade, diabetes, doença pulmonar ou cardíaca; já se ter tido uma insolação/insolações previamente.    

 

Sintomas de insolação

Temperatura corporal Se esta for igual ou superior a 40º graus é o principal sinal que denuncia uma insolação. 

Estado mental ou comportamento alterado Agitação, confusão mental, discurso incoerente, irritabilidade, delírio, convulsões e mesmo coma podem ser sintomas provocados por uma insolação. 

Alteração na transpiração Na insolação provocada pela exposição ao calor, a pele fica quente e seca ao toque. Quando é causada pela prática de exercício físico intenso, a pele fica húmida.

Náuseas e vómitos A pessoa pode sentir-se enjoada e vomitar.

Pele corada À medida que a temperatura corporal aumenta, a pele pode ir ficando avermelhada.

Respiração rápida A respiração pode tornar-se rápida e superficial.

Dor de cabeça Pode ocorrer a sensação de cabeça a pulsar. 

 

O que fazer?

Perante uma situação de insolação, deve recorrer a um serviço de emergência imediatamente. Entretanto, siga estas diretrizes:

•    Transporte a pessoa para dentro de casa ou, pelo menos, para um local fresco e com sombra. 

•    Remova o vestuário em excesso.

•    Arrefeça a pessoa usando o método que for possível: levando-a a tomar um duche ou banho com água fria, usando uma esponja embebida em água fria ou aplicando gelo (envolvido numa toalha) ou toalhas humedecidas em água fria na testa, pescoço, axilas e virilhas. Se tiver uma ventoinha, coloque-a perto da pessoa.

•    Dê-lhe líquidos a beber – mas atenção, não devem estar muito frios. Dado que a pessoa perdeu muito sal e água através da transpiração, as bebidas desportivas são uma boa opção para repô-los. 

•    As bebidas açucaradas e/ou alcoólicas são uma má opção ao interferirem com a capacidade do organismo de controlar a temperatura corporal.

 

Como prevenir a insolação

• Evite a exposição prolongada ao sol, sobretudo entre as 11h e as 16 horas. Procure sombras.

• Quando for à praia/campo/piscina aplique protetor solar antes de sair de casa. As queimaduras solares afetam a capacidade de arrefecimento do organismo. Para o rosto, o protetor solar deverá ter um fator de proteção (FPS) igual ou superior a 50 e para o corpo deve ter um FPS mínimo de 30. Renove a aplicação de 2 em 2 horas.

• Use roupa confortável e leve, chapéu de abas largas e óculos escuros.

• Beba líquidos regularmente (evite as bebidas alcoólicas e com açúcar), o que ajuda o corpo a transpirar e a manter a temperatura normal.

• Esteja atento se sofre de uma doença crónica ou toma algum medicamento cuja ação interfira com a capacidade do corpo para se manter hidratado e a uma temperatura normal (informe-se junto do seu médico assistente).

• Evite praticar uma atividade física intensa que implique a exposição direta ou prolongada ao calor.