Vou ter um irmão!

O que os pais devem fazer para ajudar a criança a lidar com esta fase de adaptação... e adaptarem-se também.
Publicado por: Mónica Cró Braz em
Tags: ciúmes , irmãos , nascimento de um irmão , regressão

A chegada de um irmão é um acontecimento que altera a rotina da família, podendo gerar ansiedade nos pais e, sobretudo, na criança que, até então, era filha única. Existem comportamentos expectáveis, normais e transitórios nesta fase de adaptação da criança que não devem ser condenados e que podem ser minimizados através de algumas medidas que valorizem a criança e que mostrem as vantagens desta ser crescida. Estes comportamentos são, por exemplo, a regressão na autonomia (por exemplo, voltar a usar fraldas, chucha, biberão, ter uma linguagem mais infantil), os ciúmes, as birras ou outras atitudes que visam chamar a atenção.

No entanto, existem estratégias que os pais devem pôr em prática e que ajudam a criança a adaptar-se à nova realidade:

 

  1. Explicar O nascimento de um irmão deve ser sempre explicado desde a gravidez, aproveitando as mudanças corporais da mãe para introduzir o tema. Os pais podem recorrendo a jogos, livros ou imagens no computador.
     
  2. Promover o contacto com bebés É importante a criança contactar com bebés durante a gravidez da mãe, de forma a familiarizar-se com o pequeno novo membro da família que chegará.
     
  3. Envolver A criança deve ser envolvida nas tarefas de preparação para a chegada do irmão de modo a sentir-se útil - por exemplo, ajudar na escolha do nome ou na decoração do quarto).
     
  4. Reforçar que o amor é inalterável Os pais devem reforçar, antes e após o nascimento do bebé, que gostam muito da criança e que o amor deles por ela não vai diminuir.
     
  5. Momentos exclusivos Após o nascimento do bebé, é inevitável a alteração de rotinas. No entanto, é importante que os pais tentem manter atividades que previamente realizavam com a criança e terem momentos a sós com ela (por exemplo, brincar no jardim, ler-lhe uma história).
     
  6. Participar nas tarefas Há que dar à criança responsabilidades e permitir que ajude nos cuidados do irmão, de acordo com as suas capacidades, ou seja: deixar pegar no bebé ao colo em segurança, participar no banho ou na muda da fralda, entre outros.
     
  7. Atenção! Se as alterações no comportamento da criança persistirem ao longo do tempo, os pais devem aconselhar-se com o pediatra da criança.