Sou alérgico ao pólen. E agora?

A primavera chegou e o pólen anda no ar, para desespero dos alérgicos. Mas não desespere, há formas de evitar o desconforto.
Publicado por: CUF em
Tags: alergénios , alergias , espirros , imunoalergologia , pólenes , primavera , tosse
Sou alérgico ao pólen. E agora?

Para algumas pessoas, é certo como um relógio: a primavera chega acompanhada de espirros, comichão nos olhos e no nariz, tosse e dificuldade em respirar. Os "culpados" são geralmente os minúsculos grãos de pólen provenientes de gramíneas ("fenos"), ervas daninhas e árvores, que nessa época se encontram espalhados pelo ar, transportados pelo vento. Para os alérgicos, que o podem ser apenas a um género específico de pólen ou a vários tipos, é uma fonte de desconforto difícil de evitar.

 

Sintomas da alergia

Os pólenes, em indivíduos sensibilizados de qualquer grupo etário e que contra eles produzem anticorpos, tanto podem provocar sintomas de rinite ou conjuntivite alérgica como de asma. Quando o pólen entra nas vias respiratórias de uma pessoa alérgica, o seu sistema imunitário procura combater a substância estranha, ativando células que libertam histamina e muitos outros mediadores no corpo, o que desencadeia o aparecimento de sinais e sintomas de uma reação alérgica, que pode incluir:

  • Tosse;
  • Pieira;
  • Espirros;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Nariz a pingar;
  • Comichão nos olhos e no nariz;
  • Congestão nasal;
  • Garganta irritada;
  • Vermelhidão e comichão na pele.

 

Efetivamente, em pessoas com asma, o pólen pode provocar o estreitamento das vias aéreas, dificultando a passagem de ar para os pulmões e causando pieira, cansaço e uma sensação de opressão no peito.

 

Como combater a alergia ao pólen

Visto que o pólen se encontra no ar, a melhor forma de evitar as reações alérgicas é limitar tanto quanto possível o tempo que se passa ao ar livre, particularmente durante as manhãs, quando a contagem de pólen no ar é maior, e também nos dias de mais vento - a chuva, pelo contrário, "limpa" os alergénios da atmosfera.

 

Outras medidas que podem ser adotadas:

  • Use óculos de sol sempre que possível, para que o pólen não contacte com os olhos;
  • Evite estar próximo de plantas ou relva recém-cortada e, a ter de fazê-lo, utilize uma máscara;
  • Mude de roupa logo que chega a casa;
  • Tome duche e lave o cabelo antes de se ir deitar;
  • Evite ter animais de estimação (que possam trazer pólen no pelo) no quarto;
  • Não coloque a roupa a secar ao ar livre;
  • Feche as janelas e as portas com acesso ao exterior;
  • Mantenha as janelas fechadas enquanto conduz ou viaja de automóvel.

 

Ajuda médica

O desconforto causado pela alergia ao pólen pode ser atenuado com a administração de anti-histamínicos não-sedativos, gotas para os olhos e sprays nasais antialérgicos. Recomenda-se, no entanto, que consulte previamente o seu médico ou um alergologista, a fim de receber aconselhamento personalizado. Saiba que pode ter indicação para ser tratado com uma vacina antialérgica, a qual pode quase "curar" o seu problema ou o dos seus familiares.