Ajude o seu filho a NÃO ser fumador: 5 Conselhos

O tabagismo é um dos maiores causadores de doenças cardiovasculares, respiratórias e cancro do pulmão.
Publicado por: CUF em
Tags: cancro do pulmão , doenças cardiovasculares , fumar , fumar e cancro , não fumar , tabagismo

Em 2009, a American Academy of Pediatrics (AAP) começou a recomendar que os pediatras e os médicos de família explicassem às crianças e aos adolescentes os malefícios do tabaco. Caso já fumassem, os médicos deviam aconselhar quais os melhores métodos para deixarem de fumar.

Em 2013, a U.S. Preventive Task Force analisou o impacto dessa medida, apurou que tinha obtido bons resultados e, por isso, veio a público reforçar a recomendação da AAP. De acordo com os investigadores, cabe também aos pais pedir ao pediatra ou médico da criança que aborde esta questão durante a consulta. No entanto, e por outro lado, salientaram que é em casa que deve começar essa aprendizagem e que, para isso, é necessário que os pais deem o exemplo. Como? Damos-lhes 5 conselhos.

 

  1. Não fume. Este é o melhor exemplo que pode dar ao seu filho.
    Se fuma, não o faça em casa ou no automóvel e não permita às visitas fumarem dentro de sua casa. Nas crianças, o fumo passivo contribui para:
    • Infeções nos ouvidos;
    • Crises de asma mais frequentes e mais graves;
    • Sintomas do foro respiratório como tosse, espirros, falta de ar;
    • Infeções respiratórias (por exemplo, bronquite, pneumonia);
    • Maior risco de Síndrome de Morte Súbita.
  2. Se é fumador e já tentou deixar de fumar mas não consegue, marque uma consulta de cessação tabágica, onde poderá aconselhar-se com o médico sobre os diversos métodos disponíveis para deixar de fumar e qual será o mais aconselhável para o seu caso.
     
  3. Encoraje o seu filho a envolver-se em atividades extracurriculares em que fumar seja proibido, como a prática de desporto.
     
  4. Tente perceber se o seu filho tem amigos que fumem e explique-lhe que, mesmo que os amigos sejam fumadores, ele não é obrigado a fumar também e que não vai deixar de pertencer ao «grupo» por recusar um cigarro que lhe seja oferecido.
     
  5. Os adolescentes que fumam tornam-se dependentes da nicotina mais rapidamente do que os adultos e, como tal, deixarem de fumar pode ser um processo difícil. Se descobrir que o seu filho fuma, evite fazer-lhe ameaças ou ultimatos: sem fazer um interrogatório, pergunte-lhe porque é que fuma (pode querer imitar os pais ou os irmãos; sentir curiosidade e querer experimentar; para ser aceite num grupo da escola; para chamar a atenção dos pais, entre outros motivos...). Explique-lhe porque é que fumar é tão nocivo para a saúde e que, em conjunto, podem procurar informação e ajuda para que deixar de fumar se torne mais fácil. Além de falar, não se esqueça que tem de saber ouvir.