Cirurgia Geral
Áreas de Especialização
  1. Unidade de Hérnias da Parede Abdominal
  2. Oncologia Digestiva
  3. Unidade de Cirurgia da Obesidade e Metabólica
  4. Unidade de Proctologia Cirúrgica
  5. Cirurgia Endócrina

 

1. Unidade de Hérnias da Parede Abdominal

Sendo uma das patologias cirúrgicas mais frequentes e incapacitantes, esta é uma área que requer uma atenção especial por parte das equipas cirúrgicas.

Nos dias de hoje, a abordagem cirúrgica desta patologia divide-se em procedimentos ditos mais "clássicos" e outros mini invasivos, laparoscópicos ou não. Uns e outros têm como objetivos principais um pós-operatório com níveis de dor baixos e um retorno rápido do doente à atividade diária.

Efetuados em regime ambulatório ou de curto internamento, o Hospital CUF Santarém dispõe da possibilidade de efetuar as mais recentes técnicas cirúrgicas, usando materiais da última geração.

 

Tipos de hérnias mais frequentes:

 

 

2. Oncologia Digestiva

Nesta área da Cirurgia Geral cabem vários tipos de tumores malignos do tubo digestivo e outros órgãos abdominais, sendo os mais frequentes Cólon e Reto, Estômago, para além de outros como Pâncreas e Fígado.

No Hospital CUF Santarém temos a possibilidade de fazer o diagnóstico, estadiamento e caracterização com todos os exames pré operatórios deste tipo de tumores, estando de certa maneira limitados no tratamento de alguns, uma vez que a complexidade dos mesmos requer unidades de apoio mais sofisticadas nomeadamente Cuidados Intensivos. Para situações mais complexas, contamos com apoio permanente para transferência, tratamento e seguimento de uma das recentemente nomeadas pelo Ministério da Saúde Unidades de Referência de tratamento de doenças oncológicas, dentro do grupo CUF, nomeadamente o Hospital CUF Descobertas ou o Hospital CUF Infante Santo, que dispõem de meios adequados e seguem os mais altos padrões de qualidade no tratamento do cancro.

  • Tumores malignos do cólon e reto
  • Tumores malignos do estômago
  • Tumores malignos do pâncreas
  • Tumores malignos do fígado

 

 

3. Unidade de Cirurgia da Obesidade e Metabólica

A obesidade é uma doença crónica que pode trazer múltiplas complicações na saúde das pessoas obesas, como a diabetes, hipertensão arterial, dislipidemia, apneia do sono e muitas outras. Falamos de obesidade mórbida quando esse risco é muito elevado e o Índice de Massa Corporal é superior a 40 Kg/m2.

Trata-se sem dúvida um dos flagelos e problema de saúde pública mais grave dos nossos tempos.

 

No Hospital CUF Santarém centramos a atuação em doentes com índices de massa corporal entre os 35 kg/m2 e 41kg m2, com doença/comorbilidade associada, entre os 18 e 60 anos, com risco cirúrgico baixo, e que já tenha feito mais que uma tentativa séria de dieta, sendo os doentes com IMC mais elevados e maior risco cirúrgico direcionados para outras unidade de saúde dentro do grupo CUF.

A abordagem destes doentes é multidisciplinar: Cirurgião, Nutricionista, Psicólogo e outra especialidade médica que se revele necessária, terão de chegar a um consenso no melhor tratamento a efetuar ao doente, e a avaliação pré operatória é baseada numa análise criteriosa de exames pré operatórios específicos exaustivos.

 

A possibilidade de efetuar estes procedimentos por cirurgia vídeo laparoscópica, veio reformular a abordagem desta patologia, assim como os seus resultados, que se revelam bastante favoráveis, quer na perda de peso pretendida, assim como no controle de doenças como a diabetes e hipertensão, e ainda na recuperação da autoestima destes doentes.

A existência de equipas médicas e de enfermagem dedicadas revela-se fundamental para o sucesso no tratamento destes doentes.

 

 

4. Unidade de Proctologia Cirúrgica

As doenças proctológicas do foro cirúrgico são muito frequentes e causadoras de queixas incapacitantes, como dor aguda e crónica, hemorragias e infeções locais nas regiões anais e perianais.

A necessitarem de um diagnóstico correto para um tratamento eficaz, beneficiam também que este seja efetuado em tempo útil, e para o qual dispomos nos dias de hoje de novas técnicas e procedimentos menos invasivos que proporcionam recuperações pós operatórias mais toleráveis para os doentes.

Culturalmente, são doenças que se suportam durante anos e esse facto leva a situações potencialmente graves para os doentes. A "má fama" relacionada com o sofrimento pós-operatório das técnicas cirúrgicas mais antigas, que já não se verifica com os novos procedimentos, ainda vai prevalecendo, e a decisão de recorrer a uma cirurgia para resolução do problema peca normalmente por tardia.

 

Contam-se de entre as patologias mais frequentes:

 

 

5. Cirurgia Endócrina

A cirurgia da tiroide ganha particular importância neste grupo de doenças dada a grande incidência do bócio multinodular e ainda da patologia oncológica desta glândula.

Embora menos frequente, a patologia das glândulas suprarrenais tem vindo a crescer de importância dada a sua deteção mais precoce por meios de imagem como a ecografia e a tomografia computorizada. Também nestas glândulas, a cirurgia laparoscópica é atualmente o "gold standard", permitindo recuperações rápidas e um retorno mais precoce à vida normal.