Cirurgia Geral
Sintomas, Doenças e Tratamentos
  1. Doenças Funcionais
  2. Doenças Benignas do Fígado, Vesícula e Vias Biliares
  3. Doenças Benignas do Pâncreas
  4. Doenças Benignas do Cólon e Reto

 

1. Doenças Funcionais

Este grupo de doenças, e como o próprio nome sugere, tem como causa o "mau funcionamento" de órgãos do aparelho digestivo que, corrigidos cirurgicamente e por técnicas mini invasivas, ou através de orifícios anatómicos, podem ter um tratamento satisfatório e obstar ao tratamento crónico com fármacos.

São situações toleradas e suportadas pelos doentes até "ao limite", que à luz de técnicas e procedimentos recentes têm uma solução eficaz.

 

Patologias mais comuns:

 

 

2. Doenças Benignas do Fígado, Vesícula e Vias Biliares

Dentro deste grupo de doenças a litíase sintomática (pedras) da vesícula é seguramente a mais comum a requerer tratamento cirúrgico, hoje em dia efetuado quase sempre por cirurgia vídeo laparoscópica.

Se a vesícula biliar inflamar ou infetar, pode ser necessário um tratamento cirúrgico em regime de urgência. Se isso ocorrer num período de 72 horas, a operação será efetuada em segurança. A cirurgia só será indicada se houver uma evolução com agravamento do estado geral do doente. De outra forma, o tratamento será feito através da toma de antibióticos de largo espectro e só posteriormente será realizada uma cirurgia de remoção do órgão.

 

Para além destes procedimentos mais comuns, outras afeções da vesícula, fígado e vias biliares podem ser tratadas no Hospital CUF Santarém por técnicas vídeo laparoscópicas e com altos padrões de segurança:

  • Quistos e abcessos hepáticos
  • Pólipos da vesícula biliar
  • Alterações funcionais e estruturais da vesícula biliar
  • Cálculos e quistos da via biliar principal

 

 

3. Doenças Benignas do Pâncreas

Doenças com indicação cirúrgica pouco frequentes e de difícil diagnóstico podem acarretar queixas arrastadas para os doentes. A possibilidade de vídeo laparoscopia cirúrgica, diagnóstica ou terapêutica é no entanto possível e vantajosa em alguns casos. Contam-se dentro destes:

  • Quistos benignos
  • Pseudo quistos
  • Tumores neuroendócrinos
  • Abcessos

 

 

4. Doenças Benignas do Cólon e Reto

Este grupo de patologias tem habitualmente, e numa primeira fase, uma abordagem médica efetuada pela especialidade de Gastrenterologia. De uma maneira eficaz e num crescente números de casos, estas situações são resolvidas em regime de ambulatório graças às capacidades tecnológicas cada vez mais sofisticadas e inovadoras que esta especialidade médica tem vindo a desenvolver. No entanto, persiste um número de casos em que se torna necessário o recurso a cirurgia, quer pela dimensão, localização ou características das lesões.

Dispomos da possibilidade do uso de técnica inovadoras mini invasivas, que proporcionam mais conforto pós-operatório e períodos mais curtos de internamento. Dentro delas, e com um carácter verdadeiro inovador, encontra-se a T.E.M. (Transanal Endoscopic Microsurgery) ou Cirurgia endoscópica trans anal, assim como a Cirurgia laparoscópica avançada.

 

Um grande número das doenças benignas ou pré malignas destas regiões anatómicas podem ser resolvidas por este tipo de abordagem no nosso Hospital, que dispõe de equipas treinadas e meios técnicos de última geração para o efeito.

  • Doença Diverticular do Cólon (aguda ou crónica)
  • Pólipos do reto
  • Pólipos do cólon
  • Tumores benignos do cólon
  • Oclusão intestinal por Bridas (aderências) intestinais