Asma: a importância de controlar a doença

Um programa de prevenção adequado permite manter a qualidade de vida do seu filho
Publicado por: Mário Morais de Almeida em
Tags: alergias , asma , asma brônquica , crises de asma , doenças alérgicas crónicas , tabagismo , tabagismo passivo
Asma: a importância de controlar a doença

Em todo o mundo, entre as várias doenças alérgicas crónicas, a asma, apesar de não ser a mais frequente, é a que causa mais preocupação, quer nas pessoas afetadas, quer na sua família.

Em Portugal, estima-se que cerca de um milhão de pessoas tenha asma, com sintomas que variam de formas muito ligeiras a quadros muito graves, dificultando uma qualidade de vida razoável.

A asma surge frequentemente na infância, embora possa manifestar-se em qualquer idade.

 

A importância de um programa de prevenção

Infelizmente, falta com frequência o diagnóstico, isto é, o reconhecimento das queixas que poderiam levar à indicação de um programa de prevenção, com a utilização de medicamentos, bem como com muitas outras medidas, como por exemplo evitar os alergénios (ácaros do pó, animais domésticos, pólenes, ...) ou a exposição a irritantes (tabaco, outros poluentes), prevenir as infeções respiratórias ou fazer exercício físico regularmente.

 

A asma pode ser controlada

Se abandonada a uma evolução não controlada, a asma pode levar a alterações irreversíveis das vias aéreas e este fenómeno pode ocorrer ainda na infância. Informe-se e colabore na informação de outros. A sua ação pode ser muito importante. Muitos casos de asma são levados a procurar ajuda pelo aconselhamento feito por outros asmáticos. E a asma não tem cura mas pode ser controlada.

 

Se forem seguidas algumas recomendações, será mais fácil controlar a asma:

  1. A criança deve dormir num quarto bem ventilado, sem humidade, se possível com exposição solar e janela para o exterior. O colchão deve ser de molas ou de espuma, sendo recomendável a aspiração regular. A almofada e o edredão devem ser de material sintético, facilmente lavável.
  2. Idealmente, a roupa da cama deve ser lavada a mais de 55ºC.
  3. Evite revestimentos em alcatifa ou mobílias acolchoadas e limite o número de peluches que a criança tem.
  4. Limpe o pó com um pano humedecido e aspire a casa com aparelho de preferência equipado com filtro HEPA.
  5. Se tem animais domésticos, evite que estes frequentem os quartos de dormir. Ventile a casa e aspire-a regularmente. Atenção: se o seu filho é alérgico, a introdução de animais na residência pode ser muito complicada.
  6. Adeque o vestuário da criança às condições meteorológicas.
  7. Faça as vacinas anti-infeciosas conforme indicado. Se a criança tem muitas infeções respiratórias durante o ano, podem estar indicados outros tratamentos que estimulam a imunidade.
  8. Faça sentir ao seu filho que é uma criança como as outras - dar exemplos de grandes atletas asmáticos reforçam a segurança da criança e também a sua.
  9. Não interfira constantemente nas atividades físicas ou outras. No entanto, se sente que existem limitações relacionadas com o esforço, converse com o médico assistente.
  10. Não peça atestados médicos para a criança não fazer desporto ou as aulas de educação física. O seu médico está disponível para providenciar informação que esclarece os professores e facilita a integração escolar.
  11. Em cada momento, procure que a asma do seu filho esteja controlada.
  12. Saiba como atuar durante as crises e, no caso de estas ocorrerem, transmita confiança e contacte rapidamente o médico, pois algo pode estar desajustado.
  13. Sensibilize o jovem para a importância de evitar a exposição ao fumo do tabaco, passivo e ativo. Fale sobre o assunto nas consultas e seja um bom exemplo.
  14. Durante as férias, leve a medicação preventiva e de crise.
  15. Caso a abordagem da asma não esteja a resultar totalmente, não desanime: existem outras alternativas.