Sinusite: como prevenir e como tratar

A sinusite é um problema bastante comum, com uma prevalência estimada de 27% na população portuguesa. Saiba quais são os principais sintomas, como prevenir e como tratar.
Publicado por: CUF em
Tags: congestão nasal , corrimento nasal , limpeza do nariz , sinusite
Sinusite: como prevenir e como tratar

A sinusite é uma inflamação dos seios perinasais (frontal, maxilares, etmoidais e esfenoidal), normalmente em resultado de doenças alérgicas (como uma rinite mal controlada ou mal tratada) ou infeções por bactérias, fungos ou vírus, como uma gripe, por exemplo. Pode ser aguda (de curta duração) ou crónica (quando se prolonga por mais de 12 semanas).

 

Sintomas

Existem vários sintomas característicos da sinusite, embora eles sejam comuns a outras doenças, designadamente infeciosas e alérgicas. Preste atenção à ocorrência de um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Obstrução nasal (nariz entupido);
  • Corrimento nasal espesso e purulento;
  • Dor e/ou sensação de pressão na cabeça;
  • Dor na face (à volta dos olhos, nas maçãs do rosto ou nos dentes superiores);
  • Dor nos ouvidos;
  • Tosse e/ou catarro;
  • Diminuição ou perda do olfato ou do paladar;
  • Mau hálito;
  • Febre.

 

Como diagnosticar

Se os sintomas forem sugestivos de sinusite, o médico poderá pedir-lhe que faça alguns exames, designadamente uma tomografia axial computorizada (TAC) aos seios perinasais, de modo a determinar eventuais desvios do septo e detetar eventuais pólipos ou quistos.

 

Como prevenir

A sinusite pode ser desencadeada por uma série de fatores de risco e, como tal, pode ser prevenida.

  • Evite locais com poluição e fumo de tabaco, que irritam as vias aéreas.
  • Controle bem as suas alergias (aos ácaros, pólenes ou pelos de animais).
  • Não coloque os dedos dentro do nariz. As mãos podem estar contaminadas por microrganismos causadores de infeção.
  • Reforce as suas defesas.
  • Se estiver num grupo de risco para a gripe, não se esqueça de tomar a vacina.

 

Como tratar

A sinusite é uma patologia que pode ser tratada e curada. Na maior parte dos casos, o tratamento é médico. Recomenda-se:

  • Beber muitos líquidos (para fluidificar e drenar melhor as secreções nasais).
  • Fazer a "higiene nasal", isto é, aplicar nas narinas soluções salinas que promovem a drenagem das secreções e o descongestionamento do nariz (como soro fisiológico e água do mar esterilizada).
  • Tomar os fármacos prescritos pelo médico, designadamente anti-inflamatórios para reduzir a inflamação e antibióticos para tratar a infeção, se esta for de origem bacteriana. Não deve interromper o antibiótico antes do prazo indicado pelo seu médico, sob pena de ter uma recaída e de aumentar a resistência das bactérias aos fármacos atualmente utilizados. Atenção: o tratamento antibiótico é nestes casos geralmente mais prolongado do que o habitual, devido ao risco de recidiva.
  • Controlar a doença alérgica subjacente, se for o caso.

 

A cirurgia está reservada apenas para os casos resistentes ao tratamento, seja por ineficácia dos medicamentos ou por alterações significativas (como um grande desvio do septo nasal ou a existência de pólipos ou quistos). Em qualquer dos casos, o prognóstico é favorável. As complicações como abcessos, osteomielite (infeção dos ossos da face) ou meningite (infeção das meninges, no cérebro) são pouco comuns.

O tratamento cirúrgico inclui-se na categoria dos procedimentos minimamente invasivos, não provocando dor no pós-operatório e implicando um internamento de curta duração (habitualmente 24 horas), podendo o doente retomar as suas atividades cinco a oito dias depois.

 

Sabia que...

A sinusite complica cerca de metade dos casos de rinite alérgica, predispondo o organismo a infeções víricas e bacterianas e agravando os sintomas.