Ecografia obstétrica (até às 10 semanas)

A Ecografia Obstétrica é um exame que permite ver o feto no interior do útero da mãe, através de ultrassons, inofensivos, tanto para o feto como para a mãe.
Ocorreu nos últimos anos um progresso imenso nesta área, dada a evolução na capacidade de diagnóstico, quer pela evolução tecnológica dos aparelhos, quer pela crescente formação dos médicos que realizam estes exames.

 

Trata-se de uma técnica que pode ser realizada por via vaginal e/ou abdominal (consoante a idade gestacional e as condições) e que permite a visualização do feto, placenta, líquido amniótico, cordão umbilical e estruturas pélvicas maternas.

Talvez exista alguma falta de informação no que diz respeito aos vários tipos de exames ecográficos, razão porque muitos casais não entendem a diferença entre os mesmos, assim como a utilidade e limitações desta técnica de diagnóstico. Tentaremos clarificar quais os vários tipos de exames ecográficos e as datas mais corretas para a sua realização.

 

Numa gravidez de baixo risco, existem 3 exames ecográficos obrigatórios em consonância com a Direção Geral de Saúde e a Comissão Técnica de Ecografia, exames estes que deverão ser realizados por médicos credenciados.

  • Ecografia Obstétrica do 1º Trimestre
  • Ecografia Obstétrica do 2º Trimestre
  • Ecografia Obstétrica do 3º Trimestre

 

Sempre que existam razões para duvidar da idade gestacional ou impossibilidade de a calcular, deve ser realizada uma Ecografia Obstétrica Precoce para datação da gravidez (habitualmente antes das 10 semanas).

 

Em determinadas situações, poderá justificar-se a realização de mais Ecografias no decurso da gravidez, nomeadamente em situações de anomalia fetal diagnosticada, patologia materna (Diabetes, Hipertensão, ...), alterações no crescimento fetal ou da quantidade de líquido amniótico, ... enfim, caberá ao seu Obstetra a avaliação da sua necessidade.


 

Exames Ecográficos

Ecografia Obstétrica Precoce (< 10 semanas)

Tem como objetivos:

  • Exclusão de uma gravidez extrauterina (gravidez ectópica)
  • Confirmação do tempo de gestação
  • Verificação do número de fetos presentes e a sua viabilidade

Na maioria dos casos, esta ecografia é realizada por via vaginal, dada a melhor qualidade de imagem obtida por esta via.

 

Uma nota final para a Ecografia Obstétrica 3D e 4D que permitem observar o bebé a três dimensões (3D) e em tempo real (4D). Podem ser realizadas em qualquer fase da gravidez, embora seja mais comum a sua realização a partir das 26-28 semanas, pelo realismo das imagens obtidas. De notar que nem sempre se conseguem obter imagens do rosto fetal, cuja obtenção está limitada à posição do feto, quantidade de liquido amniótico e obesidade materna. São exames opcionais e nunca substitutos dos anteriores e por vezes importantes como documentação de alterações morfológicas.

 
Benefícios e Limitações dos Exames Ecográficos 

A Ecografia Obstétrica é um exame complementar de diagnóstico, útil e imprescindível na vigilância de todas as grávidas. Serve para supervisionar a evolução da gravidez, o bom desenvolvimento fetal e detetar eventuais anomalias no feto. Poderá existir a necessidade de outros exames complementares de diagnóstico para esclarecimento de situações clínicas suspeitadas/detetadas (Amniocentese, Biópsia de vilosidades coriónicas, Ecocardiograma fetal, Ressonância magnética fetal, ...).

 

Apesar da melhoria técnica e constante formação dos médicos, este exame não garante 100% de certezas, pois existem limitações inerentes ao exame que podem originar a não deteção de uma anomalia ou a suspeita de uma anomalia inexistente, essas limitações são entre outras: a posição do feto, a quantidade de líquido amniótico, a obesidade materna.

 

Artigos relacionados

Cardiotocografia (CTG)