Ecografia obstétrica (das 11 as 14 semanas)

Ecografia Obstétrica do 1º Trimestre

 

Rastreio Aneuploidias

Nesta ecografia é confirmado o tempo de gestação com elevada fiabilidade, pela medição do CCC (comprimento crâneo-caudal), avaliação da viabilidade do feto e sua frequência cardíaca, é estudada também de forma básica, a anatomia (forma) externa e interna do feto.
 

Nesta ecografia é realizado o rastreio biofísico de anomalias cromossómicas (ex: trissomia 21, 13, 18)e através da avaliação de alguns marcadores ecográficos (translucência da nuca, ossos próprios do nariz, ductus venoso...) que, em conjunto (rastreio combinado do 1º trimestre) com o exame bioquímico (análise de sangue), permite efectuar um cálculo de risco para anomalias cromossómicas com cerca de 95 % de taxa de detecção (com 5 % de falsos positivos).
 

Benefícios e Limitações dos Exames Ecográficos

A Ecografia Obstétrica é um exame complementar de diagnóstico ,útil e imprescindível na vigilância de todas as grávidas, serve para supervisionar a evolução da gravidez, o bom desenvolvimento fetal e detectar eventuais anomalias no feto. Poderá existir a necessidade de outros exames complementares de diagnóstico para esclarecimento de situações clínicas suspeitadas/detectadas (Amniocentese, Biópsia de vilosidades coriónicas, Ecocardiograma fetal, Ressonância magnética fetal...).

 

Apesar da melhoria técnica e constante formação dos médicos, este exame não garante 100 % de certezas, pois existem limitações inerentes ao exame que podem originar a não detecção de uma anomalia ou a suspeita de uma anomalia inexistente, essas limitações são entre outras: a posição do feto, a quantidade de líquido amniótico, a obesidade materna.