Maternidade CUF

Alterações físicas e fisiológicas após o parto

problemas pós-partoAs alterações físicas e fisiológicas e os desconfortos sentidos podem interferir com o seu bem-estar (fadiga, auto-cuidado, etc.) e são normalmente associados a queixas dolorosas a nível da região abdominal e perineal, problemas da amamentação, dores musculares e das articulações, hemorróidas e obstipação.

 

Involução uterina

O processo de “involução uterina” (útero voltar ao tamanho normal) inicia-se após o parto e dura aproximadamente 10 dias. As contrações uterinas estão presentes nas primeiras 48 a 72 horas, especialmente durante a amamentação, porque o reflexo de sucção do bebé estimula a secreção de ocitocina que, por sua vez, estimula as contrações uterinas, tornando-as mais intensas.

 

Lóquios

São perdas de sangue por via vaginal que se iniciam após o parto. Inicialmente são sanguinolentas e após 10 dias tornam-se amareladas, diminuem a quantidade e desaparecem entre 3 a 6 semanas.

 

Episiorrafia

Sutura do corte cirúrgico feito no períneo, (região muscular que fica entre a vagina e o ânus) durante o parto, para facilitar a passagem do bebé. Os pontos caem espontaneamente e não necessitam de cuidados além dos de higiene.

O que fazer

  • Aplicar gelo protegido durante 15 minutos, várias vezes ao dia até não sentir dor/ desconforto (+- 2 dias após o parto)
  • Não usar tampões
  • Manter a região da sutura o mais seca e limpa possível, (evita infecção)
  • Mudar o penso higiénico com frequência
  • Limpar-se sempre de frente para trás quando urinar ou evacuar
  • Evitar ficar sentada por muitas horas seguidas enquanto o períneo estiver em fase de cicatrização
  • Contrair a região glútea antes de se sentar e utilizar uma bóia como apoio

 

Cesariana

A cesariana é uma cirurgia abdominal, pelo que é normal sentir dores e/ou desconforto nesta zona, devido à incisão e às contrações do útero. A incisão interna uterina cicatriza habitualmente em seis semanas e a sutura da pele numa semana. Se tiver pontos externos devem ser retirados entre o 8º -10º dia após parto. A cicatriz costuma ficar avermelhada durante alguns meses, tornando-se mais clara ao fim de 6 meses a 1 ano, dependendo do seu tipo de pele e genética.

São raras as complicações associadas à cesariana no entanto podem surgir hematomas, seromas, infecção ou deiscencia da sutura.

O que fazer

  • Se não tiver penso, manter higiene habitual, lavar a cicatriz no banho e de seguida secar muito bem com a toalha
  • Se tiver penso, deve ser trocado e retirado segundo a indicação do seu médico obstetra (ver nota de alta)
  • Não fazer esforços ou levantar pesos (procure segurar o bebé quando estiver sentada)
  • Manter uma postura ligeiramente curvada nos primeiros dias, se proporcionar conforto (evita tensão da pele)
  • Para levantar-se da cama, vire-se de lado e utilize o braço para fazer força de modo a levantar o corpo
  • Apoiar a sutura com os braços ou uma almofada, para tossir ou espirrar
  • Repousar
  • Utilizar uma cinta pós-parto, para alivio da dor e desconforto
  • Massajar a área da sutura com um creme cicatrizante, depois de retirar os pontos de modo a que a pele volte à firmeza anterior

 

Cinta

A cinta deve ser usada somente para ajustar e aconchegar o abdómen nos primeiros dias, após o parto por cesariana e deve ser colocada abaixo do umbigo. Dificulta a recuperação pós-parto e compromete a normal localização dos órgãos pélvicos da mulher no futuro, por ex. a incontinência urinária, pode surgir só na menopausa, devido a uma deficiente recuperação no pós-parto. A decisão de utilizar a cinta e por quanto tempo deve ser tomada em conjunto com o seu médico obstetra.

 

 

Dores

As contrações uterinas são normalmente indolores, mas podem ser intensas principalmente durante a amamentação e nas multíparas (mulheres com mais de um filho). As dores abdominais originadas pela cesariana ou as dores da episiorrafia devem diminuir de dia para dia, sendo controláveis com utilização de analgésicos. Deve apenas tomar os medicamentos recomendados pelo seu obstetra, especialmente se amamenta.

As dores musculares e articulares são essencialmente devidas a posicionamentos incorretos durante o trabalho de parto, parto e/ ou amamentação e é aconselhável o exercício físico, pois ajuda os músculos a recuperarem a sua forma e tonicidade, devendo ser iniciado de forma gradual.

 

Função urinária

As micções não devem ser dolorosas e nos primeiros dias podem ser mais frequentes devido à eliminação da água retida pelo organismo durante a gravidez. Pode surgir incontinência urinária, durante os primeiros 3 a 4 meses após o parto que deverá ser passageira. Por vezes torna-se necessária uma reeducação muscular através dos exercícios de Kegel (contrair e descontrair os músculos períneais).

 

Função Intestinal

Vários são os factores que predispõem à obstipação durante este período e que contribuem para que se instale um “ciclo” em que a obstipação se acentua cada vez mais, sendo mais doloroso evacuar, o que por sua vez leva a uma inibição da eliminação intestinal, aumentando o desconforto, a dor e a ansiedade. Essa inibição muitas vezes é reforçada pelo receio que ocorra deiscência da sutura perineal ou pela presença de hemorróidas.

O que fazer

  • Aumentar a ingestão de água e de alimentos ricos em fibra
  • Andar, fazer pequenas caminhadas
  • Se persistir, solicitar ao obstetra a prescrição de medicação

 

Hemorróidas

São veias dilatadas do canal anal e podem ser causadas não só pela gravidez mas também pela força exercida durante o parto. Podem ser internas ou externas, sangrar ou não, mas são habitualmente dolorosas.

O que fazer

  • Aplicar gelo protegido durante 15 minutos, várias vezes ao dia
  • Alternar aplicação de água fria e morna no local da hemorróida
  • Adoptar posições que aliviem o desconforto
  • Utilizar uma soga ou bóia como apoio quando estiver sentada
  • Manter a função intestinal regular
  • Aplicar e/ou tomar os medicamentos indicados pelo seu obstetra

 

Edemas dos Membros Inferiores

Estes edemas podem prolongar-se até três semanas após o parto.

O que fazer

  • Elevar as pernas, durante os momentos de repouso e enquanto amamenta
  • Fazer pequenas caminhadas
  • Passar água fria, 1 a 2 minutos, nas pernas e pés, durante o duche

 

Menstruação

A 1ª menstruação surge entre a 6ª e a 8ª semana após o parto, nas mulheres que não amamentam, sendo imprevisível o seu aparecimento nas mulheres que amamentam.

 

Artigo relacionado

Exercícios Pós-parto